linkedin google plus facebook twitter
Home / Opinião / 53% rejeitam ofertas de emprego

53% rejeitam ofertas de emprego

ofertas

Recentemente publicámos um artigo relativo às profissões com mais saída em Portugal e as mais bem pagas, segundo o Guia do Mercado Laboral 2017, estudo anual realizado pela consultora Hays e que aprofunda as tendências do mercado de trabalho em Portugal. Mas há mais..

De acordo com esse estudo, existem cada vez menos portugueses qualificados com vontade de mudar de emprego. Porquê? A culpa é dos salários que as empresas estão a oferecer.

Em 2016, 53% dos profissionais portugueses rejeitaram novas propostas de emprego, mais 6% do que no ano anterior. Metade dessas recusas foram devido a pacotes salariais pouco atractivos.

De acordo com Paula Baptista, diretora-geral da Hays Portugal, os sectores mais preocupantes em termos de recusas de ofertas são o Turismo e as Tecnologias de Informação, com 76% e 64% de recusas registadas em 2016, respectivamente.

Vontade de mudar diminuiu

O estudo da Hays, divulgado na semana passada, apresenta novos desafios para as empresas portuguesas, no que diz respeito às contratações. Os profissionais inquiridos, 2641 no total, expressam sinais de descontentamento em relação a vários aspectos da situação laboral, entre eles, progressão na carreira, referida por 73% como motivo de insatisfação, ou o pacote salarial, referido por 60%.

No entanto, isso não se transmite numa vontade de mudar de carreira. De acordo com Paula Baptista, “Nunca o interesse dos candidatos em mudar de emprego apresentou níveis tão baixos como este ano”.

A percentagem de empresas a querer recrutar (73%) é, pela primeira vez desde que a Hays realiza este estudo, superior aos profissionais interessados em aceitar novos desafios (71%) e Paula acrescenta que “as consequências desta tendência serão imprevisíveis e caberá às empresas prepararem-se estrategicamente para um possível cenário de escassez de profissionais qualificados”.

Mudanças nos recrutamentos

Este desequilíbrio identificado pelo Guia do Mercado Laboral,  acentua a competição das empresas pelos melhores talentos.

Apesar dos elevados níveis de insatisfação referidos pelos profissionais no seu emprego atual, em várias vertentes como as perspectivas de progressão na carreira (73%), os prémios de desempenho (67%), a comunicação interna (62%), o pacote salarial (60%), o acesso a formação (59%), a cultura empresarial (54%) e os benefícios oferecidos (52%), a maioria (53%) continua avessa à mudança e escolhe não arriscar num novo desafio.

Este número tem vindo a aumentar e invertê-lo depende sobretudo da capacidade das empresas para compreenderem estes sinais de insatisfação e perceberem o que é determinante para sustentar a decisão de mudança de um profissional.

Assim, de acordo com a diretora-geral da Hays, “recrutar a pessoa certa será mais difícil” uma vez que os profissionais estão mais ambiciosos e “vão querer crescer com as empresas”. Assim, a oferta salarial tende a tornar-se decisiva, para situações de retenção de quadros e novas contratações, e só 23% das perto de 900 empresas inquiridas no estudo referem o pacote salarial como um dos pontos fortes para a atração e retenção de talento.

Recusas por sector

Dos 12 sectores analisados pela Hays, apenas um deles regista uma diminuição no número de rejeições de novas propostas de trabalho face ao ano anterior: – o Retalho, que registou uma redução de 5%  fixando-se em 2016 nos 50% de ofertas recusadas.

O sector mais preocupante é o do Turismo uma vez que, em 2016, 76% recusaram ofertas nesta área (contra cerca de 50% em 2015). No topo da lista encontram-se ainda sectores como Tecnologias de Informação (64 de recusas), Marketing e Vendas (57%) e Engenharias (55%).

 

Fonte: Expresso

 

About Alerta Emprego

O Alerta Emprego é um portal de emprego que ajuda empresas e recrutadores a encontrar os melhores candidatos e a gerir processos de recrutamento. Além de promover anúncios de emprego, o Alerta Emprego funciona como uma base de dados de CVs pesquisável, tornando mais fácil a procura de candidatos.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*