As seis falhas dos “Horários Flexíveis”

Ter horários flexíveis pode ser uma regalia que muitos funcionários procuram, no entanto há algumas coisas que deve considerar antes de alterar a forma como a sua empresa funciona.

Conseguir que os colaboradores estejam felizes e motivados é o objectivo da maioria das empresas. Mas será que implementar horários flexíveis é a solução?

Alguns especialistas afirmam que oferecer esta flexibilidade traz benefícios e muitos trabalhadores confessam que é um factor importante para eles. No entanto, antes de permitir que os seus colaboradores construam o próprio horário, é importante que tenha conhecimento das potenciais falhas, que lhe apresentamos de seguida com a ajuda do Fast Company:

1. Pode ter um impacto negativo na comunicação

Agendar reuniões e obter respostas rápidas a chamas e emails começa a ser mais complicado quando o horário de trabalho varia consoante o dia e o funcionário. Este factor, pode atrasar o desenvolvimento de projectos importantes e, desta forma, ser prejudicial para o sucesso da empresa.

A melhor solução é definir um horário em que todos os funcionários estejam conectados.

2. Pode criar falhas no serviço prestado

A flexibilidade de horários pode prejudicar a relação da empresa com os clientes, colocando outros funcionários em “pressão” quando a pessoa responsável não está presente.
Para além disso pode acontecer que não tenha funcionários suficientes para desempenhar as funções em determinados momentos.

3. Pode prejudicar a cultura empresarial

Se existir competição na empresa ou se a pessoa responsável nunca tiver folgas, os funcionários podem sentir-se pressionados para não aderir aos horários flexíveis e criar uma cultura de “workaholics”.

Para além disso, ter funcionários a trabalhar em casa ou com horas de trabalho variáveis, pode prejudicar o relacionamento entre os colegas e reduzir os momentos de convívio.

4. Pode diminuir a produtividade

Horários flexíveis podem levar aos esgotamento dos funcionários. Mesmo que não estejam a trabalhar mais horas do que o normal, mas podem sentir que estão a trabalhar em todos os momentos ou sentirem-se forçados a trabalhar mais por não terem horas estruturadas.

Para além disso, quando os colaboradores estão fora do escritório, não consegue controlar e evitar as descrições. É importante que defina prazos para as tarefas estarem realizadas.

5. Alguns colaboradores podem não cumprir

Se a política da empresa relativamente aos horários não estiver bem definida, alguns funcionários podem relaxar demasiado e trabalhar menos que o necessário e passar mais tempo a realizar actividades pessoais e recreativas.

É importante que, em conjunto com os colaboradores, esclareça bem quais as expectativas da empresa, quais os prazos das tarefas e como o trabalho deve ser feito.

6. Pode ser uma ilusão

As empresas que vêm esta opção como uma forma de atrair o melhor talento podem estar enganadas. Independentemente da flexibilidade dos horários ou não, o mais importante é que cada colaborador saiba gerir o seu tempo (e a sua vida) da melhor forma possível para conseguirem atingir os resultados que procuram.