PT_How_to_Manage_Your_Personal_Finances_While_Looking_for_a_Job_blog

 

comparaja banner

Como é sabido, fazer a gestão das finanças pessoais em modo “normal” – isto é, estando empregado – é complicado. Há contas para pagar, coisas que quer fazer, sítios que gostaria de visitar… Agora pense: se é difícil gerir as finanças pessoais com emprego, a dificuldade triplica se estiver desempregado.

Com isto em mente, facilmente se deduz que, com todas as preocupações que a busca de emprego acarreta, a última coisa que precisa é stressar com as suas finanças! Neste momento complicado deve focar-se maioritariamente em arranjar emprego, não descurando a preocupação sobre a quantia de dinheiro que tem na conta no final do mês.

Pôr as finanças em ordem não precisa de ser doloroso e não deve ser só quando está à procura de emprego. Tome as rédeas da sua carteira e adquira bons hábitos mesmo depois de arranjar trabalho. Por agora, aqui estão algumas dicas que deve ter em conta para gerir as suas finanças quando estiver à procura de emprego:

  1. Seja realista com a sua situação

Facilmente entramos em negação quando toca ao nosso dinheiro. Pensar que mais cedo ou mais tarde teremos um trabalho com rendimentos fixos em cada mês ou mesmo uma conta poupança que nos dá algum suporte é comum. Porém, não adianta pensar assim, até porque, mais cedo ou mais tarde, essas fontes de rendimento vão acabar. Seja honesto consigo próprio e encare os problemas de frente.

  1. Elabore um orçamento

Uma forma fácil de planear um orçamento é seguir a regra 50-30-20, no qual distribui 50%, 30% e 20% da receita para despesas específicas e poupanças. Este infográfico pode ajudá-lo a perceber como funciona e a distribuir os rendimentos de modo a viver mais confortavelmente. Tenha em conta tanto as receitas que tem (como subsídio de desemprego, se já trabalhou, contas poupança, mesadas, etc.) como despesas.

  1. O que realmente precisa?

Comece por apontar todos os gastos que tem, mensalmente, para além das despesas fixas. Mas quando se fala em todos, são mesmo todos; seja a compra do jornal ou aqueles cafés diários. Talvez fique surpreendido com quanto dinheiro está a gastar.

Tenha tato no que concerne a produtos que queira comprar e seja sensível a preços, comparando sempre todas as opções na aquisição dos mais variados produtos, desde cartões de crédito a eletrodomésticos!

A decisão de saber quais os gastos desnecessários é somente sua, mas tente manter as despesas o mais baixo possível.

  1. Comece o quanto antes 

Tanto a gestão das finanças pessoais, como a procura de emprego. Aliás, ambas estão relacionadas. Quanto mais cedo começar a gerir os seus gastos e começar a ver resultados, mais margem de manobra tem para procurar trabalho.

  1. Tenha em conta todos os custos

Quando conseguir o emprego – que com toda a certeza irá conseguir -, tenha em conta todos os custos que com ele provêm, desde transporte, alimentação, guarda-roupa, se tem de mudar de cidade, casa… Deste modo, se já tiver o orçamento feito, é só ajustá-lo à nova realidade.

  1. Se conseguir poupar, melhor!

Mesmo parecendo impossível com todas as despesas que tem e os poucos rendimentos que aufere nesta fase, a cereja no topo do bolo seria conseguir poupar algum dinheiro, para poder entrar na nova fase da sua vida com alguma tranquilidade.

 

Por fim, resta referir que estas são só algumas dicas, havendo muitas outras e que este texto é apenas um guia e não uma “fórmula mágica”, que, aliás, não existe. Ter perseverança é sempre necessário e um grande trunfo para quem está à procura de emprego.

Posto isto, resta desejar-lhe boa sorte: para encontrar emprego e poupar!