Função pública

Os assistentes operacionais que actualmente recebem o salário mínimo no valor de 580 euros, terão um aumento de 55€, resultado do descongelamento das progressões, ao contrário dos 3,58€ que estavam previstos inicialmente.

O dirigente da Federação de Sindicatos de Administração Pública (Fesap), José Abraão, esclareceu ao jornal PÚBLICO que o Governo irá dar indicações aos respectivos serviços para que os trabalhadores passem para a quarta posição da tabela remuneratória única, onde o salário é de 635,07€, em vez de transitarem para a terceira posição, onde o aumento seria apenas de 3,58€, passando a ganhar de 583,58€

Esta opção, foi transmitida à Fesap por Fátima Fonseca, secretária de Estado da Administração Pública, durante uma reunião realizada durante o dia de ontem (quarta-feira) com o objectivo de discutir a situação dos funcionários públicos.

Este aumento será repartido em quatro partes, o que dará cerca de 13,76 euros em cada momento.

O dirigente reforça que se trata de uma medida “importante” e que beneficiará “algumas dezenas de milhares de trabalhadores”. No entanto alerta que não resolve todas as situações de “injustiça”. “É preciso olhar para os trabalhadores das carreiras inalteradas e subsistentes, aos quais não se aplica a regra dos 28 euros”, exemplificou.