É oficial. A idade da reforma vai aumentar mais um mês no próximo ano. Conforme a portaria publicada em Diário da República, quem pretender reformar-se já em 2019 e sem quaisquer penalizações terá que ter 66 anos e cinco meses. Esta subida de um mês na idade da reforma deve-se ao impacto da esperança de vida relativamente ao fator de sustentabilidade e também à determinação da idade para o próximo ano.

Em vigor este ano, este aumento de mais um mês face aos actuais 66 anos e quatro meses de idade, reflete a esperança média de vida aos 65 anos existente entre o ano de 2000 e o ano anterior ao início da pensão, calculada anualmente pelo Instituto Nacional de Estatística, assim como o fator de sustentabilidade.

Este fator de sustentabilidade foi criado em 2008 para que fosse possível reflectir a esperança média de vida na idade de acesso à reforma. E, tendo em base estes dois valores, foi então decidido o aumento de um mês na idade da reforma.

Este modelo foi analisado pelo governo anterior, em 2014, mas tornou-se menos flexível. Pois no regime original o candidato à reforma podia trabalhar por mais tempo (anulando o corte), aposentar-se 65 anos de idade com penalizações ou descontar mais.

Ainda em 2014, o fator de sustentabilidade passou a determinar a idade da reforma e ainda passou a ter em consideração a esperança média aos 65 anos em 2000 (e não em 2006 como até então acontecia), o que resultou com que este valor praticamente duplicasse

A portaria publicada tem efeitos desde 1 de janeiro de 2018.

 

Fonte: Dinheiro Vivo