Qual é a sua opinião relativa às tendências, práticas, expetativas e tecnologias utilizadas durante o dia-a-dia no local de trabalho? Se acredita que estes recursos estão a precisar de ser atualizados, não está errado. Conheça neste artigo o papel das novas gerações e tecnologias e o seu impacto no local de trabalho até 2020.

Atualmente, uma grande parte das empresas estão a passar por uma transformação digital. A inteligência artificial, a cloud, as tecnologias móveis e o crescimento da automatização dos serviços forneceram os recursos necessários para transformar todos os aspetos de um negócio.

A morte do escritório

O local de trabalho em 2020, numa perspetiva global, vai ser menos centralizado, tornando-se extremamente móvel e mais flexível. No futuro, não existirá a obrigatoriedade de estar presente fisicamente no escritório, uma vez que será possível exercer as suas funções a partir de casa.

Isto torna o local de trabalho cada mais virtual, potenciando mais ferramentas que permitem monitorizar os colaboradores, para determinar se os mesmos estão a trabalhar ou não. Estas tendências serão caracterizadas por colaboradores millennial e da Geração Z, que precisarão de autonomia e flexibilidade, tornando a cultura do local de trabalho tão importante como o salário e os benefícios.

Todo este desenvolvimento irá afetar os Recursos Humanos, uma vez que vão estar mais dependentes da eficiência das tecnologias de consumo, desta era digital. Para uma melhor preparação, devem:

Concentrar-se na criação de uma excelente employee experience

Esta experiência é a capacidade da empresa em ver o mundo através da perspetiva dos seus colaboradores, desenvolvendo uma ligação com estes e tendo noção dos seus feitos. É importante a empresa dedicar-se ao desenvolvimento de uma experiência de colaborador que tenha em mente o ambiente físico em que trabalham, além das tecnologias e ferramentas que possibilitam a produtividade.

Esta experiência vai permitir transmitir a cultura e os valores organizacionais e usar isso para recrutar e manter talento de topo.

Criar uma abordagem ágil para o recrutamento e desenvolvimento de colaboradores

Uma abordagem ágil é, em grande parte dos casos, utilizada no desenvolvimento de software para ajudar as organizações a trabalhar a um ritmo elevado e a gerir a imprevisibilidade, no entanto também se aplica no recrutamento e desenvolvimento dos colaboradores e das suas competências.

No local de trabalho de 2020, a empresa terá de usar esta abordagem para recrutar e desenvolver colaboradores. É essencial que os mesmos consigam encontrar, classificar, identificar e consumir aprendizagem em todos os aspetos do negócio.

Criar espaços que promovem a cultura

A grande maioria dos locais de trabalho foram concebidos para extrovertidos e para as suas necessidades de estímulos frequentes. No entanto, há uma questão a impor-se. Como se pode acomodar introvertidos e extrovertidos no mesmo local de trabalho e assegurar a satisfação e as necessidades de ambos?

A criação de locais de trabalho móveis e flexíveis não deve retirar toda a atenção do local de trabalho físico, ou seja, é necessária uma adaptação total do mesmo para manter o talento de topo. De acordo com um estudo de mercado, apurou-se que os colaboradores que possuem controlo sobre onde e como trabalham e que são livres de escolher um local de trabalho adequado para a tarefa a desempenhar são 88% mais empenhados no emprego.

Aplicar uma perspetiva de marketing de consumidor nos Recursos Humanos

Tantos os candidatos como os colaboradores têm ferramentas para oferecer feedback imediato aos empregadores, que pode ser utilizado para classificar a cultura e a gestão de uma empresa. Será necessário um conjunto de ferramentas de marketing de consumo, como design thinking e a análise de sentimentos, de modo a criar uma experiência envolvente para o colaborador. E é aqui que entra o big data.

Na era digital de hoje, grande parte das interações que temos com ferramentas, clientes ou até mesmo membros da nossa equipa geram dados. Isto demonstra que as tendências dos locais de trabalho do futuro vão girar à volta da recolha, assimilação, racionalização e análise de dados. Consoante a análise resultante, será preciso tomar determinadas medidas de ação. O objetivo passa por utilizar as descobertas para ajustar ou renovar as estratégias de modo a torná-las mais eficazes.

Experimentar chatbots nos Recursos Humanos

Segundo a IDC, empresa líder mundial na área de market intelligence, a inteligência artificial é um enorme mercado que irá aumentar ainda mais as suas proporções em 2020. Será necessário a criação de bots para providenciar experiências personalizadas online, os quais serão capazes de lidar com um número elevado de atividades do recrutamento.

Isto vem demonstrar que a automatização irá afetar cada vez mais aspetos da vida profissional e pessoal. Por isso, será difícil distinguir o que é feito por uma pessoa ou por uma máquina. A natureza fundamental da forma como as pessoas trabalham irá sofrer grandes transformações e será essencial trabalhar com mais inteligência de modo a oferecerem soluções eficazes rápida e adequadamente.

Preparar para os novos cargos de Recursos Humanos

Até ao fim de 2020, muitas mudanças fundamentais serão implementadas nos RH, entre elas, a criação de experiências mais personalizadas para o colaborador, estimulada pela inteligência artificial. Isto implica que diversos cargos de RH tornar-se-ão mais especializados e técnicos.

Focar no desenvolvimento da equipa e não apenas no individual

Apesar dos Departamentos de Recursos Humanos se concentrarem tradicionalmente em colaboradores individuais, em 2020, a criação de equipas que conseguem trabalhar eficazmente em conjunto tornar-se-á a principal prioridade para a grande maioria das empresas. Os grandes feitos serão alcançados através de equipas e não de colaboradores que trabalham individualmente.

No que diz respeito à dinâmica dos RH em 2020, o objetivo será educar as pessoas sobre a melhor forma de colaborar eficazmente com os membros das equipas, e aprender a contribuir em projetos ao fazerem-se contributos de equipa, em oposição a contributos individuais.

 

De modo a ajudar as empresas a caminhar para as tendências do futuro no local de trabalho, será essencial determinar os seus pontos fortes e fracos, procurar oportunidades para integrar tecnologia e possuir objetivos claramente definidos.

 

Fonte: Randstad