Apesar de confiança genuína demorar o seu tempo a desenvolver-se (uma vez que a confiança genuína provém do sucesso), há formas de transmitir aos outros que é uma pessoa e uma profissional autoconfiante, que acredita no que diz e não tem dúvidas no que faz – mesmo quando a verdade não podia ser mais oposta.

Conheça estes conselhos que o podem ajudar a criar esta imagem de autoconfiança no local de trabalho:

1. Oiça mais do que fala

Falar demasiado é uma máscara de insegurança. Quando está nervoso e inseguro, é mais fácil evitar o silêncio com palavras – que no fim nem se vai lembrar de metade.

Indivíduos realmente confiante são mais sossegados e menos pretensiosas. Já sabem o que pensam e pretendem saber o que você pensa.

Para parecer mais confiante, coloque questões abertas que permitam às pessoa ao seu redor expressarem a sua opinião: pergunte sobre o que fazem, como o fazem, o que mais gostam sobre o assunto, o que aprenderam e o que deve fazer se um dia se encontrar na mesma situação.

Indivíduos com uma natureza confiante compreendem o seu conhecimento elevado, e pretendem saber mais, e também compreendem que a única forma adquirir mais conhecimento é ao ouvir mais.

2. Partilhe o sucesso com os outros

Talvez tenha sido o único a fazer a maioria do trabalho. Talvez seja o único que realmente merece os louros do sucesso. Mas não procure o reconhecimento dos outros. Partilhe-o com as outras pessoas.

Indivíduos genuinamente confiante não dão importância a prémios – interiormente estão orgulhos – mas não procuram a aprovação e a glória, eles compreendem o que alcançaram. Têm a consciência de que não precisam da validação dos outros, porque a verdadeira vem de dentro.

Por isso, dê um passo atrás e celebre as suas realizações através dos outros. Deixe os outros também brilhar – este comportamento é um incentivo à sua autoconfiança e à dos outros.

3. Peça ajuda frequentemente

Muitas pessoas acreditam que pedir ajuda é sinal de fraqueza; implícito neste pedido está a falta de conhecimento, experiência ou competência. E isto é especialmente verdade quando não confia em si próprio.

Mas a verdade é que este pensamento não está correto. Indivíduos confiantes têm a segurança que lhes permite admitir as suas fraquezas.

Estes indivíduos procuram ajuda, não só porque não receiam admitir que precisam de ajuda, mas também porque sabem que quando pedem ajuda a alguém, estão a elogiar essa pessoa. Ao dizer “Pode-me ajudar?” está a mostrar um tremendo respeito pelo conhecimento dessa pessoa.

Por isso, quando precisa de ajuda, peça. Além de conseguir o apoio que precisa, vai transmitir um sentimento de confiança e autosegurança.

4. Não menospreze os outros

Os indivíduos que gostam de espalhar rumores e falar mal dos outros, fazem-no para parecerem superiores em comparação – o seu pensamento é: quando alguém está mal, sentem-se melhores com eles próprios.

Pessoas genuinamente confiante não menosprezam os outros. A única comparação que fazem é com a pessoa que foram ontem – e com a pessoa que esperam ser um dia.

5. Reconheça os seus próprios erros

Insegurança gera artificialidade; confiança gera sinceridade e honestidade.

É por isso que indivíduos confiantes reconhecem os seus próprios erros. Eles gostam de partilhar as suas falhas. Não se preocupam em servir de exemplo sobre o que não fazer ou de se tornarem no motivo de gargalhadas dos outros e deles próprios.

Quando é autoconfiante, não se importa de fazer “má figura”, ocasionalmente. Compreende que quando é genuíno e despretensioso, as pessoas não se riem de si. Eles riem-se consigo.

6. Enfrente os sentimentos de ansiedade e stress

Quando se sente ansioso ou stressado, as suas glândulas suprarrenais  geram cortisol, um dos químicos que desperta o instinto de fuga. Elevados níveis de cortisol aumentam as suas emoções, limitam a sua criatividade e reduzem a sua capacidade de processar informação complexa.

Qual é a solução? Queime esse excesso de cortisol com exercício. Faça uma caminha durante a sua hora de almoço. Faça exercício físico antes de ir para o trabalho. Frequente ginásios e crie uma rotina de exercício físico.

Ao libertar estas energias vai sentir-se menos ansioso e nervoso e muito mais confiante para enfrentar o dia.

7. Não deixe de acreditar no que pensa

Materiais de investimento estão cheios de palavras como pode, poderia, talvezdeverá por motivos de conformidade. Quando está nervoso, o seu discurso também é afetado. Diz “talvez”e “possivelmente”, e “pelo menos é o que eu acho”.

Resumindo, tem receio de afirmar e defender aquilo em que acredita, não consegue tomar uma posição com medo que esteja errado.

Não deixe este comportamento liderá-lo. Diga o que pensa. Diga aquilo em que acredita. Depois oiça, e se estiver errado, não há problema – porque dá-lhe a oportunidade de mostrar que tem a confiança necessária para admitir que não sabe as respostas de tudo.

8. Seja o voluntário

Não sabe como se integrar no novo grupo? É fácil.

A melhor abordagem é encontrar uma forma de facilitar a vida das pessoas que integram esse grupo. Por isso dê um passo em frente e voluntarie-se. Ofereça-se para fazer um pouco do trabalho duro. Ofereça-se para ajudar nas tarefas mais chatas. Voluntarie-se para fazer o que os outros não querem.

O voluntariado ajuda-o a envolver-se mais na dinâmica do grupo, e isso permite-lhe sentir-se mais integrado. Além disso, vai ganhar o respeito dos seus colegas.

 

Fonte: The Muse