Mais de 45 milhões de trabalhadores da Europa estão empregados em grupos multinacionais e este valor tem subido ao longo dos últimos anos.

Dados do Eurostat revelam que que uma fatia significativa destas é controlada pela Alemanha e que Portugal é dos países onde estes grupos menos operam.

Segundo o gabinete de estatísticas, “em 2022, 146.400 grupos multinacionais operaram nos países da União Europeia e da Associação Europeia do Comércio Livre [Islândia, Liechtenstein, Noruega e Suíça]. Deram emprego a mais de 47 milhões de pessoas nesses países”.

O Eurostat acrescenta que a Alemanha e os Países Baixos destacam-se, com 15.500 e 13.100 (respetivamente) das 146.400 mil multinacionais.

À parte da UE e da Associação Europeia do Comércio Livre, é o Reino Unido que merece destaque: das 146 mil multinacionais, 10% (14.900) são controlados por este país. Já os Estados Unidos controlam 5% (7.500) e a China 2% (2.700).

Os dados publicados pelo Eurostar revelam ainda que Portugal é dos países europeus com menos multinacionais a operar (1.418).

O emprego nas multinacionais tem vindo a aumentar

Dos 47 milhões de empregados em grupos multinacionais, 45,4 milhões estavam localizados nos países da União Europeia.

Este número revela um aumento, já que em 2021 as multinacionais tinham empregado 43,6 trabalhadores no espaço comunitário e em 2020 40,7 milhões.

Fonte: ECO