É uma das ferramentas mais utilizadas na procura em emprego, mas há erros que deve evitar ao usá-la. Saiba aqui o que não fazer no LinkedIn!

Na verdade, segundo Fernanda Brunsizian, gestora de comunicação do LinkedIn no Brasil e na América Latina, “não existe um jeito certo ou errado de usar, mas muita gente ainda explora a rede de forma básica”.

Veja então 10 pontos do que não deve fazer no LinkedIn:

1. Não ter foto

Segundo a gerente do LinkedIn, perfis com foto são 14 vezes mais clicados do que os que não têm. “É um detalhe que traz credibilidade e uma sensação de proximidade”, explica.

2. Escrever muito

Perfis com textos muito longos ou imprecisos não cativam. Além disso, outro erro num texto é não conter palavras-chave sobre a sua área e as suas competências.

3. Copiar textos do currículo

Transferir todo o conteúdo do seu currículo para o LinkedIn não está certo, já que cada um deles tem a sua função.

4. Não mencionar as suas competências

É importante listar as suas competências e deixá-las à disposição de votos de outros utilizadores.

Além disso, se quer ser encontrado na rede, é bom caprichar na lista.

5. Não ter um link personalizado

Personalize o link para o seu perfil no LinkedIn! A configuração automática do LinkedIn coloca números e símbolos aleatórios, mas o ideal é substituir essa expressão pelo seu nome.

Essa pequena mudança impulsiona o seu perfil em procuras no próprio LinkedIn e até no Google.

Para alterar o link clique no ícone com a sua foto, na barra superior, depois em “visualizar perfil”, e “editar perfil público e URL”, no lado direito da página. Irá para a página de Configurações do perfil, onde tem a opção para digitar a nova URL desejada.

6. Omitir alguns detalhes pessoais

A gerente do LinkedIn diz que a maioria das pessoas deixa em branco a área do perfil destinada a projetos de voluntariado, causas sociais e eventos – e perdem oportunidades com isso.

Essas informações importam, porque criam possibilidades de identificação e conexão pessoal com outros profissionais e até recrutadores.

7. Não mencionar resultados

Os utilizadores tendem a descrever as suas funções e atribuições e deixar de fora os resultados que trouxeram para as empresas.

8. Deixar o nome da sua universidade sem link

Quando escreve o nome da faculdade que frequentou, clique no preenchimento automático que o site sugere. Se não fizer isso, o logo da instituição não aparece no perfil.

9. Não aproveitar o conteúdo

Participe em grupos, siga empresas e acompanhe pessoas influentes.

10. Conectar-se com pessoas aleatoriamente

Não deve enviar e aceitar pedidos de conexão aleatoriamente. Não precisa necessariamente de conhecer a pessoa, mas é essencial que tenham algo em comum, como a área ou interesses profissionais.

Veja o grupo do Alerta Emprego no LinkedIn e tenha acesso a ofertas de emprego!

Além disso, há outras questões a ter em atenção, por exemplo, não coloque que trabalha numa empresa na qual nunca trabalhou. Se quiser fazer parte do processo de recrutamento dessa empresa, isso não irá passar uma boa imagem.

Fonte: Exame