Os jovens que começaram agora o seu primeiro trabalho têm à sua frente uma grande oportunidade, bem como alguns desafios.

A sua energia e uma nova perspetiva vai ser uma mais valia para os mesmos, e potencialmente para a empresa, apesar de a sua falta de experiência estar, infelizmente, muitas vezes aliada a uma sobrevalorização do seu potencial.

O grande erro que os, antes estudantes e agora trabalhadores podem cometer é não se consciencializarem que estão noutra fase das suas vidas. É verdade que foram contratados e que trabalham para lá chegarem, mas a vida profissional é todo um mundo muito diferente do que estão habituados a conviver.

Abaixo encontram-se alguns dos erros mais comuns cometidos pelas pessoas quando começam a trabalhar:

Não questionam o suficiente

O melhor modo de aprendizagem é questionar tudo. As primeiras semanas de trabalho são uma ótima oportunidade para o fazer. É completamente natural que um novo trabalhador vindo da faculdade não saiba tudo. Contudo, o único modo de perceberem exatamente o que têm de fazer e de dissiparem as suas dúvidas, é perguntando.

Muitos não o fazem, por recearem que vão parecer estúpidos ou porque simplesmente a sua arrogância não os permite pedir ajuda quando precisam. Mas é muito melhor pedir esclarecimentos agora que estão a entrar na empresa do que mais tarde, quando já deviam realmente saber as coisas.

Não pedem feedback

Outro modo de aprender é pedir a opinião de terceiros. Idealmente os superiores deviam sempre passar o seu feedback aos novos trabalhadores, mas isso nem sempre é o caso.

Deste modo, têm de tomar a responsabilidade do seu próprio desempenho, pedir o feedback regularmente sobre o seu trabalho e especialmente depois de uma grande apresentação ou projeto realizado.

Uma vez mais, os acabados de sair da licenciatura ou têm excesso de confiança em relação ao seu trabalho para pedir uma opinião, ou então ignorantes sobre o facto de se o fizerem vai melhorar o seu desempenho muito mais rápido.

Trabalham até tarde

É um facto biológico que a maioria dos jovens adultos possuem muito mais energia, e muitas vezes menos responsabilidade em casa, em comparação com os trabalhadores mais velhos.

Isto indica que os mesmos podem vir a trabalhar até mais tarde, e quem sabe a noite toda, ao pensarem que é o que deve ser feito ou porque é necessário.

Mas na verdade, trabalhar até tarde só demonstra que não estão a usar o seu tempo eficientemente. Podem existir ocasiões que justifiquem trabalhar até tarde, mas não deve ser todos os dias.

Não cuidam deles próprios

Este fator está mais relacionado com o estilo de vida de cada um, mas uma vez mais e a realidade é que o jovem adulto consegue suportar melhor a situações de stress, mais álcool e menos horas de sono. Claro que todos devem ter momentos de diversão, mas é um erro deixar isto afetar a sua saúde.

Não comer em condições, não fazer exercício e não dormir o suficiente não vai melhorar em nada o seu trabalho, muito pelo contrário.

Não clarificam as expectativas

Ficar no escritório até tarde regularmente pode ser resultado de uma falha no esclarecimento das expectativas do seu superior em relação ao seu trabalho. Algumas vezes, uma tarefa pode demorar várias horas, em pesquisa e tratamento de informação numa apresentação, quando noutras alturas, basta simplesmente uma rápida análise com algumas deduções.

Para além disso, o novo trabalhador jamais conseguirá superar as expectativas quando o próprio não sabe que expectativas o seu superior depositou nele.

Tentam reinventar

Outra razão para estarem a trabalhar mais do que precisam é por pensarem que têm a obrigação de trabalhar algo 100% original. A verdade é que existem muitas lições de vida a aprender de outras empresas, marcas e projetos.

É um erro não olhar para outros exemplos e adaptá-los à realidade da empresa. Isto permite uma maior capacidade para a tomada de decisões e como implementá-las, no lugar de perderem tempo a tentar criar tudo do zero.

Não ‘reclamam”

Esta engana: os novos trabalhadores devem aceitar o trabalho que lhes é dado, e não serem esquisitos e escolher a dedo os mais interessantes. Contudo, é um erro aceitar mais do que se consegue aguentar e assumir a responsabilidade dos outros.

Em determinadas situações, é justificável ripostar e não aceitar determinada tarefa, devido a prazos inconcebíveis, ou por ter conhecimentos numa área onde seria uma melhor contribuição. Desde que haja fundamentos adequados para rejeitar um projeto, deve ser feito.

Não reportam erros

Se é devido à sua arrogância, ou por pensarem que devem tomar a responsabilidade total de tudo, os licenciados muitas vezes falham em alertar para a existência de erros. Ficarem quietos não permite ao seu superior ajudar, ou impede de o mesmo alertar o patrão.

Podem surgir problemas e pode não ser culpa de ninguém, contudo é sempre melhor reconhecer o problema e tornar a sua responsabilidade ajudar na procura da solução, em vez de ignorar ou tentar consertá-lo por conta própria.

Complicam as coisas

É comum dizer que as simples soluções são as melhores, mas pelos vistos os novos trabalhadores parecem perder-se nos detalhes. Tentam incorporar todos os factos e assimilar todos os cenários possíveis, construindo enormes apresentações que apenas deixam todos ainda mais confusos.

Aprender a filtrar informação é uma capacidade fundamental para qualquer trabalhador. Se precisar de ajuda, é sempre útil pedir a opinião de terceiros, de modo a destacar o que realmente interessa.

Não vêem o contexto geral

Os novos licenciados levam o seu trabalho muito a sério, e podem acabar por ficar absorvidos nos seus próprios projetos que acabam por pensar que mais nada importa. Isto acaba em determinados comportamentos perante outros colegas de trabalho. Entender todo o contexto da situação permite ter o apoio de outros trabalhadores e permite alcançar uma maior eficiência no trabalho.

 

Fonte: Business Insider