mudar de emprego

 

83% dos portugueses pondera mudar de emprego a curto prazo.

Quem o diz é a Hays, no seu Guia do Mercado Laboral 2014. Este valor tem vindo a aumentar ligeiramente desde 2011, mas sentiu-se agora uma subida abrupta, de 5 pontos percentuais.

Os engenheiros, comerciais e marketeers são os que estão mais predispostos a mudar de emprego e os profissionais dos sectores de retalho e Life Sciences (Biologia, Medicina e Farmacêutica), os que estão menos.

 

Motivações para um profissional mudar de emprego:

  • 63% dos inquiridos mudariam de emprego se houvessem mais perspectivas de progressão na nova empresa;
  • 60% fá-lo-iam se o projecto fosse mais interessante;
  • 55% consideram que o pacote salarial era uma boa razão para mudar de emprego;
  • 18% mudaria por estar insatisfeito com a empresa onde trabalha;
  • 17% mudaria para emigrar;
  • 13% afirma que a sua condição contratual é pouco estável e, por isso, pensa mudar de emprego;
  • 13% gostaria de mudar de localização dentro de Portugal;
  • 10% afirma que a incompatibilidade entre a vida profissional e pessoal é uma forte motivação;
  • Apenas 5% consideram que o fim do actual contrato de trabalho é motivo para mudar de empresa.

Vemos, aqui, que os profissionais sentem que existe uma estagnação a nível salarial e de carreira. Este é um dos motivos que os leva a estar insatisfeitos no seu emprego actual. Aliás, 70% dos inquiridos não foi aumentado nem promovido durante o ano de 2013, corroborando esta tese.

Os profissionais mais insatisfeitos com o seu salário encontram-se nas áreas dos Recursos Humanos e da Banca/Seguros, onde mais de 40% gostaria de ter um melhor pacote salarial.

Como podem, então, as empresas reter os seus talentos e mantê-los motivados? Dando-lhes aquilo que mais valorizam:

  1. Plano de Carreira
  2. Oferta Salarial
  3. Cultura Empresarial
  4. Solidez financeira
  5. Qualidade dos projectos
  6. Plano de formação
  7. Prestígio no mercado
  8. Dimensão da empresa
  9. Localização geográfica
  10. Prémios de desempenho
  11. Benefícios não financeiros
  12. Outros

Os portugueses querem mudar de emprego porque as empresas não estão a corresponder às suas expectativas de progressão de carreira e salário. Será esta mais uma consequência da crise?