No recrutamento em 2022 haverá uma tendência para as áreas digitais. Além disso os setores económicos também estarão na disputa.

Conheça os 15 sectores de atividade que serão tendência este ano, revelados pelo estudo anual sobre tendências de recrutamento para quadros executivos, em empresas de grande dimensão, da Michael Page:

1. Banking & Financial

Os perfis de auditoria, controlo e risco estão entre os mais desejados.

O estudo afirma que o negócio de NPL (Non-Performing Loan) deverá levar a um grande crescimento do mercado financeiro. Já as fintech serão importantes na atracão de novo talento.

Assim, funções de risco como compliance e auditoria, a área de corporate & investment banking e retail banking, estarão em destaque.

Quanto à tendência salarial, na banca de retalho um diretor de agência pode ganhar até 58 mil euros e um analista de risco até 37 mil euros.

2. Construção

Funções ligadas à Construção Civil estarão em destaque, contudo é previsível um aumento dos concursos públicos em projetos de infraestruturas.

No entanto, poderá haver falta de profissionais, devido à redução de estudantes universitários nos últimos anos, principalmente em engenharia civil, e aos profissionais que saíram do país.

Assim, este desequilíbrio irá contribuir para elevar os níveis salariais do setor. Os perfis mais procurados são: diretores de obra, encarregados gerais, preparadores de obra e orçamentistas.

Também se procura gestores de projeto, em que a remuneração pode incluir desde o valor máximo de 110 mil euros para a função de diretor-geral a 35 mil euros para um engenheiro fiscal ou de projeto.

3. Engineering & Manufacturing

O setor industrial é bastante vasto, os perfis mais procurados são engenheiros de processo, engenheiros de melhoria contínua, supervisores de produção, técnicos de manutenção, gestores de projeto e engenheiros de produto.

Estes estão ligados às áreas de logística e supply chain, onde a procura passou a ser superior à oferta, mas os salários ao nível de direção mantiveram-se.

Ao nível do pacote salarial há cada vez mais competitividade, a ajudar a isto está a maior globalidade de Portugal nos mercados. Assim, há uma tendência de disputa de talento no setor.

Então, na indústria, um diretor-geral pode auferir o salário máximo de 170 mil euros (em Lisboa), já na área da construção, a mesma função e na mesma zona geográfica, pode ganhar até 110 mil euros.

4. Finance

A procura por perfis financeiros tem crescido nos últimos anos, em funções como controlling, contabilidade e direção financeira.

Então, isto exige profissionais cada vez mais polivalentes. O mercado procura perfis avançados com domínio de tecnologias como Excel, ferramentas de Business Intelligence e ERPs.

Além destas capacidades tecnológicas, também a capacidade analítica, espírito crítico e orientação à melhoria contínua de processos transversais e competências sociais, são relevantes.

Nos perfis financeiros, nas funções de direção, como a de controller financeiro, o salário oscila entre 21 mil a 45 mil euros. Nas funções de controlo, um auditor externo pode ganhar até 63 mil euros.

5. Healthcare & Life Sciences

Não é novidade que no último ano é uma área de bastante importância e esta será uma tendência dos próximos anos.

Segundo a Michael Page, um salário justo, a boa reputação da empresa e o trabalho flexível continuam a ser fatores decisivos para atração e retenção de talento.

Então, nas funções comerciais, um business unit manager (cargo máximo) pode ganhar desde 64.400 a 130 mil euros. Também no departamento médico, um diretor pode atingir os 130 mil euros.

Já em funções técnicas e de suporte, um responsável de regulatory affairs pode auferir até 65 mil euros.

6. Hospitality & Leisure

A área da hotelaria e turismo foi uma das mais afetadas pela pandemia, mas continua a ser uma referência no plano económico português.

A tendência mantém-se, haverá estabilidade de salários e procura de funções de gestão e otimização do negócio, como perfis de direção geral, chefe de cozinha e sales manager.

Na restauração continua a procura de posições mais operacionais, mas com um foco mais analítico, estratégico e de gestão. Já nas agências de viagens online destaca-se a procura de perfis como product managers ou business developers com um foco claro no digital.

Haverá uma maior procura de candidatos com formação universitária, competências comerciais, capacidades comunicativas e de liderança.

Assim, numa função de diretor geral de operações, a remuneração varia entre 56 mil a 110 mil euros, isto varia em função da região.

Nas funções mais operacionais, como chefe de banquetes, o valor está entre os 32 mil e 55 mil euros.

7. Insurance

É uma área que mantém uma forte aposta no setor bancário, nomeadamente através do canal bancassurance. Assim, nota-se um crescimento nas seguradoras associadas a bancos.

Então, o setor registou particular crescimento nas funções de business development e account management, nas áreas de marketing, sobretudo no canal digital.

Ao nível de áreas técnicas, mantêm-se a tendência em área de risco, auditoria, atuarial e data analytics.

Os pacotes salariais tiveram um aumento em algumas áreas. As remunerações vão entre 14 mil a 84 mil euros, dependendo do nível de responsabilidade.

8. Information Technology

O crescimento mantém-se, houve um aumento na procura de profissionais estratégicos e especializados.

Também o mercado tonou-se mais exigente na combinação das hard skills com as soft skills, reforçando a importância das competências de liderança, comunicação e orientação para a resolução de problemas.

Os perfis especializados tiveram um aumento de procura devido à constante transformação digital. Nomeadamente áreas como cibersegurança, IoT, cloud, CRM, ERP, machine learning e big data.

A nível salarial, um diretor de sistemas de informação pode auferir entre 60 mil euros a 125 mil euros brutos, por ano.

9. Logística

Em sectores industriais, de retalho ou de construção haverá uma tendência para uma grande procura de profissionais de logística e supply chain e assim uma progressão salarial.

Os perfis mais procurados são essencialmente de middle management, com destaque para as funções de customer service, supervisor de logística, responsável de operações ou comprador sénior.

Também as posições de Top management cresceram em procura, tal como: diretor de operações, diretor de logística, diretor de supply chain e diretor de compras.

Uma pessoa na função de supply chain analyst pode receber até 25 mil euros e um diretor de compras até 110 mil euros. Já na área de logística, um diretor pode receber no máximo 80 mil euros.

10. Recursos Humanos

Com as empresas a investir cada vez mais na gestão e desenvolvimento dos seus talentos, há uma procura de perfis mais transversais.

Então, são perfis com conhecimentos especializados em finanças, análises de dados e tecnologias de informação.

Nesta área, o pacote salarial continua a se importante, mas não decisivo. Um diretor de RH de uma grande empresa ou multinacional, pode receber entre 49 mil e 84 mil euros.

Nas PME e grupos nacionais a remuneração mais alta, para a mesma função, está nos 56 mil euros.

11. Retail

A procura de profissionais com no mínimo Licenciatura e/ou com especialização profissional estratégica para o core business do negócio aumentou.

Nos cargos de direção, um diretor geral pode auferir até 160 mil euros, um diretor de compras 110 mil euros. Nas funções de operações de retalho não alimentar, um retail manager pode ganhar entre 42 e 63 mil euros.

12. Shared Services Centres (SSC)

O mercado SSC tem atraído investidores internacionais. Este setor tem tido uma forte competitividade, isto devido ao scope de funções, ao número de novos investidores, aos salários e a forma de reter candidatos.

Mas, embora a competitividade, os salários neste setor mantêm-se estáveis. Ainda assim há exceções, estas estão relacionadas com o domínio de idiomas como alemão, flamengo, holandês, entre outras.

Assim, a remuneração de um manager (head of SSC) pode atingir os 140 mil euros, de team leader até 36 mil euros e de um especialista purchase-to-pay cerca de 25 mil euros.

13. Sales & Marketing

Marketing Digital é um dos destaques, continua a crescer como uma área autónoma e não apenas uma disciplina do marketing.

Assim, ter o MBA sobretudo para funções de management é uma mais-valia.

Na área comercial, a procura recai na venda técnica e consultiva orientada para a satisfação e para a fidelização do cliente, independentemente do setor de atividade.

Funções comerciais generalistas terão provavelmente um aumento salarial. No topo da tabela salarial está um diretor comercial, com valores que podem chegar aos 92 mil euros.

Nas funções ligadas ao marketing digital, assinala-se um valor máximo de 84 mil euros para a função de coordenador.

14. Secretarial & Business Support

Nos últimos dois anos houve uma alteração das funções de suporte, isto em grande parte devido ao tele-trabalho.

Há uma crescente procura de perfis e competências administrativas por parte das organizações, justificada pela crescente aposta de empresas multinacionais em Portugal.

Assim, em termos de remunerações, a função de Secretária de Presidência pode chegar até aos 42 mil euros por ano, seguindo-se a de secretária de administração com um máximo de 38 mil euros por ano.

15. Tax & Legal

Neste campo, destaca-se uma maior movimentação nas áreas de corporate & M&A, fiscal, direito público, contencioso civil, direito imobiliário, laboral e comercial.

Há uma procura acentuada de perfis seniores para sociedades de advogados, mas também de perfis juniores, na área de concorrência e energia.

Numa sociedade de advogados de pequena dimensão, a remuneração oscila entre 14.500 euros para um advogado estagiário e 78 mil euros para um advogado associado.

As empresas mantiveram o interesse por perfis mais generalistas e versáteis, com background nas áreas de corporate, civil e comercial, bem como algumas necessidades na área de proteção de dados.

As consultoras, mantêm o seu foco em áreas mais tradicionais como auditoria, consultoria e impostos.

Nas consultoras, um diretor jurídico numa empresa média ou de grande dimensão pode auferir até 160 mil euros.

 

Este estudo revelou ainda que a flexibilidade, o tele-trabalho e benefícios ao nível da saúde, educação e reforma são fatores importantes para o candidato.

Além disso, também conclui que nas funções de direção reforçam-se as cláusulas de proteção à mudança para mitigar o efeito da incerteza e a movimentação no mercado de talentos, e reforça-se o salário emocional.

Conheça as empresas que estão com recrutamento em aberto!

Fonte: Jornal Económico