colaboradores-felizes

Colaboradores felizes têm tendência a ser mais produtivos, falar bem da empresa e a serem defensores do produto/serviço no seu dia-a-dia. Desta forma, são elementos valiosos no desenvolvimento da empresa.

Uma cultura empresarial forte é essencil para garantir a satisfação e bom desempenho dos trabalhadores.

O que é a cultura empresarial? É o conjunto de valores partilhados por um grupo de pessoas e tem como objectivo unir os funcionários de uma empresa, garantindo que todos trabalham para um mesmo fim. Não é uma tarefa fácil, mas é bem recompensada.

1. Ter uma Missão

Os trabalhadores não se querem sentir autómato – querem fazer a diferença na sociedade. As empresas devem ter um propósito social para além do lucro. Mesmo que o objectivo empresarial não esteja ligado à responsabilidade social, é possível agir sobre este campo. A empresa pode apadrinhar uma organização de ajuda aos animais, ter uma iniciativa de reflorestação, ajudar doentes oncológicos, etc.

Os funcionários que estão a trabalhar com uma missão são mais felizes e, portanto, mais produtivos.

2. Dar poder de decisão aos funcionários

Nenhum trabalhador gosta que lhe seja dito como fazer tudo. As pessoas trabalham melhor (e são mais felizes) quando lhes é dado poder de decisão, pois podem expressar a sua individualidade e assumir maior responsabilidade.

Todas as opiniões devem ser valorizadas. Se um funcionário tiver boas ideias 5 vezes e nunca lhe for permitido avançar com as mesmas… deixará de tentar. Esta situação leva a que a empresa estagne e os seus trabalhadores sejam infelizes.

Uma boa ideia para fomentar a boa disposição e produtividade é permitir que os funcionários decidam sobre a decoração do seu espaço de trabalho – segundo um estudo, a produtividade dos mesmos aumenta em 32%.

O poder de decisão deve ser complementado com perspectivas de crescimento na carreira. Se a chefia ajudar os funcionários a evoluir, os mesmos percebem que estão num emprego de futuro, esforçando-se por superar os objectivos.

3. Fomentar a comunicação entre os trabalhadores

Funcionários felizes são aqueles que têm boas relações inter-pessoais dentro do escritório. Por norma, as pessoas têm tendência a falar somente com os membros do próprio departamento. É preciso fomentar a relação entre todos os trabalhadores, permitindo o desenvolvimento da cultura empresarial. Hoje em dia, com as video-conferências, torna-se muito fácil unir trabalhadores de várias regiões ou países. Algumas empresas optam, também, por realizar reuniões gerais com todos os funcionários ou organizar actividades de team building.

Ao juntar pessoas com especialidades diferentes está-se a potenciar a inovação. Por exemplo, um membro do departamento de tecnologias de informação pode ter uma excelente ideia para aplicar ao departamento de Recursos Humanos. Se existir comunicação entre  todos os trabalhadores, mais facilmente o informático terá à-vontade para expressar a sua opinião.

4. Dar e receber feedback

Geralmente, os funcionários têm “medo” da avaliação de resultados anual. Porquê? Porque durante um ano não souberam se estavam a seguir os procedimentos correctamente, por isso receiam que a sua avaliação seja negativa.

Ao dar feedback regularmente, as chefias possibilitam que os empregados melhorem a sua performance imediatamente. Desta forma, quando forem avaliados ao final do ano, semestre ou trimestre já terão adequado os seus procedimentos, pelo que a avaliação será positiva.

Por outro lado, também é importante tentar perceber de que forma a empresa como um todo pode melhorar. Desta forma, sugerimos que as chefias peçam feedback aos funcionários sobre regalias, horários de trabalho, procedimentos implementados, moral, etc. Um bom líder é o que sabe escutar e adaptar-se. Quem melhor para sugerir melhorias do que aqueles que operacionalizam todos os dias?

5. Ter um comité de cultura empresarial

A cultura empresarial também se expressa através de eventos, por isso é importante que existam pessoas encarregues de organizar festas, passeios, eventos de team-building, dias de voluntariado, etc.

Devem ser aproveitados os gostos pessoais e hobbies de cada funcionário. Por exemplo, um trabalhador que se interesse por culinária pode ficar encarregue de organizar o pic-nic da empresa; outro que se interesse por exercício físico pode ser seleccionado para liderar os exercícios de relaxamento diários. As chefias devem apoiar estas actividades, permitindo a utilização de alguns fundos monetários, bem como do horário de trabalho.

6. Encorajar a equipa a “viver” a marca

Funcionários que conhecem e gostam da marca são os melhores defensores da mesma. São os que mais vezes vão dizer aos amigos para experimentarem o produto XPTO ou almoçarem no café ABC.

Imagine que funcionários trabalham num restaurante de saladas cujos valores principais são a saúde e sustentabilidade. As chefias podem ajudá-los a “viver” a marca ao providenciar almoços de salada grátis, inscrições no ginásio e ao organizar acções de trabalho comunitário.

Ao mesmo tempo que transmitem a cultura empresarial ao seus funcionários, permitem-lhe experimentar o produto vendido.

7. Focar-se no bem-estar dos trabalhadores

Para manter os funcionários felizes, a empresa deve estar atenta à sua saúde física e mental. O exercício físico deve ser valorizado e/ou recompensado. Porque não construir um balneário para funcionários que vão de bicicleta para o emprego? Ou ajudar no pagamento das mensalidades do ginásio?
Um funcionário saudável é mais produtivo e falta menos vezes.

Por outro lado, convém que as chefias estejam atentos à saúde mental dos trabalhadores. Os mesmos estão sobrecarregados de trabalhao? Algum deles tem problemas familiares que estão a impedir de desempenhar correctamente a sua função? Se necessário, a empresa pode dispensar dias de férias extra ou permitir que o funcionário se retire a meio do dia.

Estas medidas fortalecem o vínculo emocional entre trabalhador e empresa.

8. Não confundir cultura empresarial e benefícios

Benefícios como dias extra de férias, almoço grátis ou escorregas no escritório são bem-vindos, mas não suficientes. A cultura empresarial é muito mais: é a estrutura de valores e crenças partilhadas.

Ao criar uma empresa, deve ser definida a cultura empresarial desde o início. Existem muito tipos diferentes: solidária, divertida, competitiva… É importante que a mesma não seja alterada, ou perderá a sua força.

 

Em suma, funcionários felizes são aqueles que se sentem valorizados numa cultura empresarial bem definida.

 

Fonte: Mashable