A começar no dia de hoje, 1 de julho de 2019, os valores dos abonos de família vão ser alterados. Os valores atribuídos vão passar a ser exatamente os mesmos desde o nascimento do filho até aos 36 meses – 3 anos de idade, tendo em conta o escalão de rendimento da família. A juntar a esta mudança, as crianças entre os 3 e os 6 anos também vão começar a receber um montante ligeiramente superior ao anteriormente implementado.

Já era previsto pelo Orçamento de Estado o aumento gradual do abono de família para as crianças com idades compreendidas entre os 12 e os 36 meses, “convergindo totalmente em julho desse ano com o valor que é atribuído às crianças até 12 meses”.

Exemplificando:

Fonte: Segurança Social e O Observador

Uma criança entre 1 e 3 anos de uma família que pertence ao primeiro escalão de rendimentos recebia, até 30 de junho, 130,31 euros de abono. A partir do início deste mês, essa criança passa a receber 149, 85 euros mensais, correspondente a um aumento de 19,54 euros.

Uma criança cuja família pertença ao primeiro escalão, mas tenha entre 3 e 6 anos, passa a receber 49,95 euros mensais, que corresponde a uma subida de 6,51 euros do montante anteriormente imposto.

Para além destas mudanças, existem alterações nos valores de abono de famílias com duas ou mais crianças. Conheça os valores tendo em conta as idades e os escalões da família na tabela abaixo.

Fonte: Segurança Social e O Observador

Em caso de famílias monoparentais – famílias em que a criança ou crianças vivem apenas com um adulto – as mesmas recebem um valor superior em 35% de abono de família, face aos valores da tabela anterior.

No entanto, estas não são as primeiras alterações, uma vez que em janeiro deste ano o montante referente a crianças entre os 4 e 6 anos foi aumentado e o quarto escalão foi alargado até aos 6 anos. Estas alterações, segundo o Governo, terão um custo de 58 milhões de euros em 2019.

Estarão novos aumentos para breve?

“O prosseguimento da majoração do abono de família nos primeiros 6 anos de vida e alargamento da majoração para agregados familiares com duas ou mais crianças nos 12 primeiros meses de vida.”.

– Vieira da Silva, Ministro do Trabalho.

Este foi o compromisso que o Ministro do Trabalho assumiu e anunciou no “Programa 3 em Linha”, em dezembro – um programa que incentiva a conciliação entre a vida pessoal, familiar e profissional. Seis meses depois, Vieira da Silva destacou este tema como uma das “prioridades” dos serviços da administração pública. Contudo, datas e valores específicos não foram mencionados.

 

Fonte: O Observador