Não há sentimento igual como quando se depara com a oportunidade de emprego ideal para si. Começa a ler todos os detalhes da função entusiasmado enquanto se imagina a exercer o cargo e a trabalhar com a sua nova equipa.

Mas, e quando chega a uma parte da descrição onde percebe que não se enquadra totalmente nos requisitos pretendidos? Pode saber que tem o que precisa para vingar no cargo, mas o seu currículo diz outra coisa.

Caso esteja a mudar a direção da sua carreira ou simplesmente a tentar passar para o próximo patamar, existirão imensas ocasiões onde estará a candidatar-se a uma posição que não se enquadra na totalidade com a suas competências. Mas é aqui que entram as boas notícias: existem diversas formas de pintar uma imagem que mostra que é um candidato qualificado.

Para além das óbvias – adaptar o seu currículo, escrever uma carta de apresentação inesquecível, explicando realmente porque é que a empresa o deveria contratar – fique a par destas cinco formas que o ajudarão a convencer o recrutador.

Utilize os seus contactos – ou crie novos

«Ter uma referência de alguém que possui muito respeito e credibilidade pode fazer toda a diferença.»

– Christine Wilson, Fundadora e Presidente de MtoM Consulting.

Quer esteja a mudar de carreira ou não, apresentar aquela referência pessoal aumentará a sua oportunidade de ser recrutado, independentemente de faltarem algumas qualificações. Se o recrutador confia em si – ou em alguém que confia em si – o mesmo sentir-se-á mais confiante em arriscar.

Apenas certifique-se de facilitar ao máximo a possibilidade dessa pessoa o recomendar. Para além de ser um ótimo trabalhador, isto quer dizer que deve ter alguns materiais de fácil posse – como um currículo curto e apenas com a informação essencial para uma fácil e rápida análise – de modo à pessoa que o recomenda poder enviar aos seus contactos.

Caso não tenha nenhum contacto, está na hora de começar a construir alguns. Contacte recrutadores e pergunte se podem conversar sobre como as suas qualificações podem enquadrar-se nos cargos que tem em vista. Pergunte ao seu círculo de contactos (família/amigos) se conhecem alguém relevante que lhe possam introduzir. Tente conseguir uma entrevista informal com alguém da empresa que pretende candidatar-se.

Veja mais além do que as competências e experiências óbvias

Apesar daquela lista aterradora de qualificações específicas, funções únicas do seu atual emprego (ou anteriores), podem ser facilmente adequados ao cargo que se está a candidatar, mesmo que não esteja na descrição da vaga.

Segundo Sara McCord, Career Expert, estas funções são «capacidades adicionais», ou seja, «fatores que apresenta aos recrutadores em adição a tudo o que é esperado de si».

É um caso de reflexão. Se é ligeiramente não qualificado para o cargo, é por alguma razão. Se passou os primeiros dois anos da sua carreira num diferente setor, está a trazer experiência dessa indústria. Por isso, no lugar de esconder-se das competências e experiência que o tornam diferente do perfil desejado pela empresa, encontre um modo de virar esses factos e usá-los como uma vantagem.

Por outro lado, um passatempo casual pode-lhe trazer a experiência real que a empresa procura, mesmo que não tenha ganho essa experiência através de uma empresa ou cargo que exerceu.

Outro fator relevante, que a maioria dos candidatos ignora, é o voluntariado. De acordo com o teste de mercado “2016 Deloitte Impact Survey”, 85% dos recrutadores estão dispostos a ignorar determinadas “falhas” no currículo de um candidato se o mesmo apresentar atividades de voluntariado.

Resumindo: pode ter muito mais para dar à empresa do que os cargos que foi pago para exercer e a experiência que provém dos mesmo, e é o seu trabalho demonstrar aos recrutadores o porquê dessas competências serem ideais e úteis para a empresa.

Demonstre como resolver os problemas da empresa

Para mostrar que está determinado em ficar com o cargo, invista o seu tempo na empresa. Conhecer o trabalho da empresa durante o processo de recrutamento reflete a sua paixão e serve como uma amostra de como pode beneficiar a empresa.

Comece por analisar a presença online da empresa, acompanhe os grandes influenciadores dentro da empresa, tente conversar com alguém que trabalhe na organização para identificar pontos mais frágeis ou oportunidades de crescimento – fatores que estão a agarrar a empresa e a impedem de seguir em frente e como pode ajudar a resolvê-los e levar a empresa para a frente.

Deste modo, no lugar de escrever uma carta de apresentação, escreva uma “carta de soluções” – destacando o que acreditar ser um dos maiores problemas da empresa e as soluções que poderia trazer para a mesa se fosse contratado. Isto reforça o facto de ter estudando a empresa anteriormente e que está entusiasmado por fazer parte da mesma.

Existem várias direções que pode tomar para conseguir demonstrar que pode ser o candidato ideal para a empresa. De qualquer das formas, deve considerar publicar o seu projeto online, utilizando uma plataforma simples de websites. Mesmo que no fim não consiga o cargo, partilhar o seu trabalho incrível com o mundo poderá ajudar a sua marca pessoal (e quem sabe atrair outros recrutadores).

Faça a sua presença online brilhar

Um dos locais que os recrutadores podem investigar caso estejam intrigados pela sua pessoa é a internet. É aconselhável certificar-se que a sua presença online representa a pessoa que pretende que a empresa veja.

Tal como ajustar o seu currículo e carta de apresentação para se adequar ao cargo que se está a candidatar, também pode adequar a sua presença. Criar um website pessoal pode dar vida à história da sua carreira e complementar o que apresenta no seu currículo.

«O website pessoal é o novo currículo. Claro que deve ter um bom perfil no Linkedin. Mas um website – especialmente na indústria visual – é onde pode partilhar o seu trabalho e expor tudo o que fez.»

– Aliza Licht, Fundadora e Presidente de LEAVE YOUR MARK LLC.

Para além disso, com um bom website, irá transmitir uma imagem profissional e legítima. A não ser que seja um criador, utilize um serviço onde poderá fazer um fantástico website. Comece aos poucos e vá trabalhando-o com o tempo.

Também é possível os recrutadores analisarem as suas redes sociais, pode certifique-se que o que publica nas mesmas embeleza a perceção que criam sobre si. Isto pode ser tão fácil como não partilhar apenas as fotografias do seu almoço, como também artigos relevantes sobre a indústria ou opiniões sobre o que se passa no seu setor.

Demonstre a sua paixão

Desde o primeiro email trocado com a empresa até à entrevista final (caso existam mais do que uma), se realmente está entusiasmado por fazer parte da empresa, demonstre-o.

Quando os recrutadores sentirem o seu entusiasmo, estes terão uma maior disposição para continuar a conversar consigo do que com candidatos mais qualificado, mas mesmo entusiastas.

Concluindo:

Por fim, lembre-se que caso utilize todas estas dicas e mesmo assim não conseguir a oportunidade, por vezes não é você, é a empresa. Independentemente do seu entusiasmo ou perfil adequado, algumas empresas não têm os recursos ou estrutura para investir em alguém que precise de mais formação ou acompanhamento.

Mas não se deixe ir abaixo. Pesquise outras empresas onde as suas competências podem crescer, e fique em contacto para evoluir as suas relações ao mesmo tempo que evolui a sua carreira.

 

Fonte: The Muse