Quando não atualiza o seu currículo à algum tempo, pode ser difícil saber por onde começar. Que experiências e conquistas deve incluir no seu currículo para se destacar? Quais são as novas regras e tendências que deve seguir? E principalmente, uma ou duas páginas?

Não é necessário investigar muito mais, uma vez que estruturámos o guia mais completo no que diz respeito a dicas de currículo – onde iremos partilhar as etapas por artigos. A primeira etapa passa pela sua apresentação:

1. Não coloque tudo no currículo

O seu cv não deve conter todas as suas experiências profissionais. Pense no seu currículo não como uma lista do seu historial profissional, mas sim como um documento de marketing com o objetivo de o tornar o candidato perfeito para a vaga. Para cada currículo enviado, é essencial destacar apenas as competências e conquistas que são mais relevantes para o cargo em questão – mesmo que isso signifique que algumas experiências profissionais fiquem de fora.

2. Mas mantenha uma lista geral com toda a sua experiência

Uma vez que vai trocar informações diferentes consoante a oportunidade a que se está a candidatar, mantenha um currículo geral no seu computador que contém todo o tipo de informação. Assim, quando estiver a adaptar um currículo para determinada vaga, é só retirar o necessário e mais relevante do currículo geral e colocar nesta nova versão. O truque é conseguir adaptar o seu currículo aos requisitos e objetivos da oportunidade em questão.

3. Coloque a melhor informação “acima da dobra”

Em termos de marketing e numa vertente digital, “acima da dobra” é a parte do currículo que está visível antes de descer o documento com o rato – mas basicamente é a primeira impressão de um documento. Em relação ao currículo, significa que deve certificar-se que as suas melhores experiências e conquistas estão visíveis à primeira vista. Esta secção superior é o que o recrutador vai ver primeiro – e é o que vai servir de impulso para o mesmo continuar a ler.

4. Deixe de fora os seus objetivos

Uma etapa um pouco mais opcional que as anteriores, mas há quem defenda que uma secção dedicada aos seus objetivos não deve constar no seu currículo. A única vez que o deve fazer é quando está a realizar uma mudança de carreira radical e é necessário explicar o porquê da sua experiência não se enquadrar com a posição a que se está a candidatar. No entanto, este passo é algo mais opcional que regra, por isso em último caso está nas suas mãos considerar até que ponto é benéfico para o seu currículo ter esta secção.

5. Mantenha uma ordem cronológica inversa

Existem diversas formas de organizar a informação do seu currículo, mas a forma mais conhecida – e eficaz – é a ordem cronológica inversa (onde a sua experiência profissional mais recente está primeiro). A não ser que seja realmente necessário, evite redigir um currículo baseado nas suas competências – os recrutadores podem ficar a pensar o que pretende esconder.

6. Mantenha tudo numa página

Um currículo de duas, ou mais, páginas é um tópico bastante debatido, mas o objetivo principal é – um currículo com a informação concisa. Alcançar este objetivo é uma boa forma de o forçar a conseguir escrever um currículo de apenas uma página.

7. Considere complementar o seu currículo

Não consegue contar a sua história em apenas uma página, ou pretende incluir alguns exemplos visuais do seu trabalho? Em vez de tentar que o seu currículo contenha tudo isto, mencione os detalhes mais importante no currículo e depois inclua um link para o seu website/blogue pessoal, onde poderá aprofundar as razões (e competências) que fazem de si o candidato ideal.

 

Fonte: The Muse