Está a usar o subsídio de desemprego da melhor forma

A taxa de desemprego em Portugal está nos 12,4%. Quer isto dizer que muitos portugueses estão a receber o subsídio de desemprego, cujo valor não é muito elevado. Mas será que estão a gastar bem o dinheiro?

Siga estas dicas para se assegurar que está a tomar as decisões correctas quanto aos seus gastos:

Elabore um balanço de contas mensal

A melhor forma de controlar os seus gastos é anotar todas as despesas. Numa folha de Excel, indique qual o valor do subsídio de desemprego que recebeu. Depois, retire do mesmo as despesas fixas (renda, internet e televisão…). Desse valor, vá retirando os gastos com compras de supermercado, electricidade, água, gás, saídas à noite, cafés com amigos, compras de bens não essenciais e quaisquer outras despesas que tenha.

Utilize uma célula para cada valor e escreva à frente onde gastou esse dinheiro.

No final do mês poderá ver quanto lhe sobra do subsídio de desemprego. Se este valor for muito baixo, tente reduzir as despesas supérfluas.

Poupe, pelo menos, 30€ por mês do subsídio de desemprego

Utilize um mapa para controlar os gastos e garantir que consegue poupar, no mínimo, 30€. Os imprevistos acontecem, por isso é importante ter algum dinheiro de parte para “emergências”.

Esta poupança também pode ser utilizada para investir e gerar mais rendimentos.

Pague em dinheiro, não em cartões

O cartão de débito/crédito é muito útil, mas não ajuda quando pretende poupar. Quando paga em dinheiro tem uma percepção mais real da quantidade de euros que está a retirar da “carteira”.

Opte por levantar dinheiro antes de ir às compras e utilizar notas e moedas para efectuar pagamentos.

Tome o pequeno-almoço em casa

Vamos fazer as contas: 2,50€ por dia para o pequeno-almoço x 5 dias por semana dá 12,50€. 12,50€ x 4 semanas dá 50€. Este é o valor que gasta, em média, se tomar o pequeno-almoço fora.

Tenha sempre disponível pão, iogurtes e cereais em casa e poupará mais de 25€ por mês.

Se ir ao café faz parte da sua rotina diária e o ajuda a ultrapassar o cansaço na procura de emprego, opte por consumir somente produtos baratos, como um café ou um chá.

Evite restaurantes

Aproveite que está em casa mais tempo para aprender a cozinhar com vários ingredientes diferentes. Pode, até, pesquisar na internet por receitas baratas e saborosas – poupará uma parte considerável do seu subsídio de desemprego.

Gaste menos combustível

Pode haver a tentação de passear e sair de casa frequentemente. Deve fazê-lo, mas evite levar o carro. Os combustíveis tem preços muito elevados e “emagrecem a carteira” de quem está à procura de emprego. Ande a pé e…

Faça exercício de forma gratuita

A subscrição no ginásio pode não ser muito cara, mas para quem está a receber o subsídio de desemprego é. Se não utiliza todas as potencialidades do ginásio e é daquelas pessoas que está inscrita mas só lá vai uma vez de 15 em 15 dias… cancele a sua inscrição.

Opte por andar ou correr nos vários parques e percursos pedestres que as câmaras municipais disponibilizam – alguns até possuem máquinas de treino cardiorespiratório e muscular.

Reduza as contas de telefone/internet/televisão

Não aconselhamos que retire o serviço de internet da sua casa, já que a mesma é uma grande mais valia na procura de emprego. No entanto, pode negociar pacotes de serviços mais baratos e eliminar gastos excessivos, como os canais de televisão pagos (de filmes, desporto, séries…).

Venda artigos antigos e/ou artesanato

Para que o subsídio de desemprego não seja a única fonte de rendimento, utilize sites de venda de artigos usados para vender telemóveis antigos, móveis que não utiliza, relógios que estão na gaveta há anos, entre outros.

Também pode fazer artesanato e vender junto do seu círculo de amigos ou em sites especializados e feiras.

Seja inteligente a fazer compras

Quem vai às compras sem uma lista gasta mais dinheiro. Assim, sempre que decidir ir fazer as compras da semana ou do mês, escreva  num papel quais os alimentos que precisa para confeccionar as refeições, quais os produtos de higiene que faltam e outros artigos que sejam realmente necessários. Veja a sua despensa, frigorífico e congelador antes de sair de casa – ajudá-lo-à a recordar quais os produtos que não precisa de comprar.

Sugerimos que experimente utilizar marcas do distribuidor (“marca branca”) – muitas vezes a qualidade é a mesma e o preço mais baixo. Acima de tudo é importante que compare preços entre marcas e mesmo lojas – poupará bastante ao final do mês.

Invista em formação

Esta é uma óptima forma de utilizar o seu subsídio de desemprego. Assistir a workshops, integrar cursos de especialização ou entrar para o ensino superior pode dar-lhe uma enorme vantagem na procura de emprego.

Pesquise quais as áreas com mais saída e pondere mudar de carreira. O seu percurso profissional não tem que ser linear.

 

Tenha atenção aos gastos e invista em soluções que o ajudem a encontrar emprego.