Trabalhar por conta própria é algo que muitos, se não todos, os trabalhadores desejam. O facto de poder trabalhar naquilo que gosta, sem estar preso a um horário fixo, escolher os seus próprios projetos e determinar a carga de trabalho.

Afinal, o que é que há para não gostar de poder usufruir desta forma de trabalho?

É fácil pensar assim e em todas as vantagens e, aparentes, facilidades. Contudo, trabalhar por conta própria tem os seus desafios e complexidades. Desde a falta de estabilidade a caros seguros e impostos, existem muitos pontos negativos que podem fazer alguém perder a vontade de trabalhar deste modo.

Mesmo assim, não deixe que isto o impeça de seguir os seus sonhos. Aqui fica o essencial que deve saber em primeira mão se quer seguir por este caminho.

Impostos

Como não se encontra na folha de pagamentos de uma empresa, os seus ganhos não serão imediatamente tributados. Ou seja, tem como responsabilidade registar os seus impostos, algo que pode se tornar esgotante, especialmente se não tiver posto de lado a percentagem do seu lucro.

Como trabalhador independente, deve pagar a si próprio um imposto que acresce ao seu imposto sobre o rendimento, que se deve à Segurança Social e Seguro de Saúde a que um trabalhador normalmente iria ter direito.

Outro fator relevante é a possibilidade de ter de pagar um imposto estimado num período trimestral. No caso de acompanhar os seus impostos anualmente, não deverá ter muitos problemas quando os registar.

Cobertura de benefícios

Se esteve a trabalhar por conta de outrem, pode ser difícil a transição, uma vez que existiam benefícios como seguro de saúde e planos de reforma que irá perder. No entanto, não se preocupe, pois existem opções especialmente feitas para trabalhadores independentes.

Tudo o que descontou para a sua reforma através do seu antigo trabalho pode facilmente passar para a sua conta de trabalhador por conta própria. A principal preocupação é que as suas contribuições já não serão correspondidas, uma vez que estavam na empresa.

Em relação ao seguro de saúde, existem vários planos criados para trabalhadores desta categoria, se bem que alguns podem ser caros se pretender um bom plano de saúde. Investigue a natureza do seu negócio e que planos tem à sua disposição.

Ter estabilidade

Quando se trabalha por conta própria, pode não ter a estabilidade a que estava habituado no seu antigo trabalho. Contudo, escolher este caminho não é mais arriscado que trabalhar numa empresa. Mesmo trabalhando para uma grande organização, existe sempre a possibilidade de ser demitido. Assim que se mentalizar disso, este receio acaba por dar lugar à confiança necessária para seguir os seus sonhos.

No entanto, pode aliviar a sua consciência ao assegurar-se que tem trabalho suficiente, um plano e lucro sólidos, e algumas poupanças de parte antes de mergulhar de cabeça neste novo desafio da sua vida. Organizar estes detalhes atempadamente vai-lhe poupar dores de cabeça e prevenir sentimentos de pânico e receio.

Alcançar um equilíbrio entre o trabalho e vida pessoal

Quando se trabalha independentemente, é fácil aceitar-se muitas propostas de trabalho. Só que isto pode levar ao acumular de trabalhos e as horas que fazia no seu antigo emprego acabam por ser o dobro.

Assegure-se que tira folgas, por exemplo ao fim-de-semana, e que impõe um limite de horas de trabalho por semana.

Este equilíbrio é essencial se pretende seguir este caminho. Apenas aceite propostas que lhe entusiasmem, e não corra o erro de aceitar tudo o que lhe aparece à frente. Tem de saber o que merece, e se um cliente não está disposto a aceitar as suas condições, encontre outro.

Tente não trabalhar sempre dentro de casa, uma vez que esta é um espaço de repouso e tranquilidade, passar os dias a trabalhar na sala de estar ou na cozinha pode tornar estes espaços associados a situações de stress. Se possível trabalhe num café ou num espaço de coworking. Deste modo evita estar a pensar em ver filmes e séries e coisas deste género.

 

Fonte: Business News Daily