O que deve manter e o que deve cortar no seu currículo

Já sabe que deve apenas incluir a sua experiência mais relevante no seu currículo, certo? Mas, se calhar, ainda não percebeu o que é que isso significa exactamente.

Até já deve ter perguntado a si mesmo: “ eu não devia incluir toda a minha experiência de trabalho, para saberem o que fiz e do que sou capaz?”. A resposta é “não”. Se essa experiência não tem nada a ver com o trabalho a que se está a candidatar, o seu currículo vai ficar pelo caminho. O empregador só quer ler o que é importante para aquela função. Além disso, escrever um resumo conciso demonstra instinto comercial e capacidade de escrever bem, o que é sempre uma mais-valia.

Já agora, verifique também se o seu currículo é maçador para o recrutador e repare os erros que possa estar a cometer.

Agora, veja de seguida como decidir o que manter e o que retirar do seu currículo:

Passo 1:

Pense em que nível está a sua carreira.

Se está a começar no mercado de trabalho, tenha cuidado. Não deve preencher o seu currículo com qualquer tipo de informação, tal como os seus pratos ou clubes desportivos favoritos. Claro que tem mais liberdade para explicar as suas competências, porque tem uma página para utilizar. No entanto, mesmo assim, deve concentrar-se em qualidade e não quantidade. Os empregadores não querem gastar o seu tempo a ler informações que não ajudam em nada a determinar se você é um bom candidato para a função. E isto, serve para todos. Informação a mais, pode deitar tudo a perder.

Passo 2:

Tenha em atenção o sector e a empresa a que se está a candidatar.

Se está com dúvidas se deve incluir uma descrição de um trabalho que realizou há mais de 10 anos, a resposta vai depender do valor que isso poderá acrescentar à função em aberto.

Se trabalhou numa empresa de entretenimento há muito tempo e está a tentar voltar a entrar na indústria, deve incluir essa informação. Se trabalhou vários anos em empresas semelhantes, a mesma coisa – inclua. Se nenhuma destas situações se aplica, uma simples lista de funções anteriores, empresas, locais e datas será o suficiente.

Passo 3:

Observe atentamente as qualificações exigidas e preferenciais que a empresa pede para a função.

A parte da descrição do trabalho é onde deve concentrar os seus esforços.

A empresa diz o que pretende, normalmente por pontos. Por exemplo: “5 a 10 anos de experiência em vendas”, “Facilidade de comunicação e argumentação”… e por aí fora. Na sua cabeça, reformule e pense nessa lista como se as frases fossem perguntas. De seguida, responda a cada pergunta. Todas as suas respostas devem estar no currículo se for esse o caso, seja no resumo da carreira, no topo do currículo ou por pontos debaixo das suas anteriores funções.

Passo 4:

Decida o que melhor fez nos seus anteriores trabalhos, algo que fez e que produziu algum impacto, grande ou pequeno. Não tem que falar em números ou pessoas, mas deve ser o mais específico possível no seu currículo. Escolha os seus feitos mais significativos e coloque-os no documento.

Passo 5:

Filtre as suas responsabilidades.

Os recrutadores podem encontrar réplicas quase exactas das suas descrições de trabalho, fazendo uma pesquisa no Google. Portanto, cuidado com as cópias.

A sua responsabilidade é a de lhes dizer mais acerca da sua história e daquilo que é capaz de fazer. Substitua o seu rol de deveres com exemplos específicos e o impacto que tiveram no seu trabalho. Isto é o que o vai distinguir dos outros candidatos.

Passo 6:

Pense em agrupar a sua experiência por competências ou áreas.

Esta técnica pode ajudá-lo a descobrir o que é importante, o que pode ser retirado do currículo e o que pode ser escrito apenas numa linha. Provavelmente vai constatar que deve utilizar um ou dois pontos relevantes nalguns trabalhos, em vez de cinco ou mais. Novamente, deve pensar nas suas respostas às perguntas, tal como fez na etapa três.

Veja como escrever o seu resumo de competências.

O currículo é como um questionário. Esse deve ser o seu pensamento enquanto o está a escrever. Se o tratar dessa forma, vai ser capaz de atender aos requisitos mais importantes à função que pretende.

 

Se descobrir o que é relevante para a vaga de emprego a que se está a candidatar, vai com certeza destacar-se da multidão de candidatos.

 

Leia este artigo no U.S. News.