«Qual é a sua verdadeira vocação?», «Qual é o seu propósito?», «O que é que estava destinado a fazer?».

Independentemente de como a encara, estas questões são como uma só. Para muitos indivíduos, uma quantidade desproporcional e desnecessária de tempo é despendida a tentar descobrir a resposta. Ficam a remoer no assunto, e a pensar e a analisar em exagero.

A internet está cheia de dicas, conselhos, ferramentas e outras formas para o ajudar a descobrir a sua vocação, desde:

  1. Escrever os seus sonhos
  2. Voltar ao que fazia quando era criança
  3. Imaginar a sua vida ideal
  4. Considerar o que o deixa cheio de vida
  5. Saber o que o faz feliz
  6. Entre muito outros…

Há indivíduos que até recorrem a livros de autoajuda, contactar conselheiros de carreira. Existe toda uma grande despesa, em termos monetários e de tempo. Mas a verdade é que nem sempre a resposta é certa ou específica – o que pode traduzir na escolha de maus caminhos.

A realidade é que nem todos possuem uma verdadeira vocação. Isto é destacado por Emilie Wapnick – escritora, conselheira de carreira, blogger – no seu website Puttylike no tópico «Home for Multipotentialities». Muito resumidamente, a autora descreve Multipotentialities ou Polymaths como pessoas com vários interesses e paixões. Estas pessoas movem-se entre interesses, tendo diversos empregos, profissões e carreiras ao longo das suas vidas, ou até ao mesmo tempo.

Poderia dedicar horas e horas a fio à procura da resposta a esta pergunta, mas neste caso não é necessário:

A Resposta é: Energia

Todos temos, mas a energia é única a cada indivíduo. Nascemos com ela, faz parte de quem somos. Quando tenta lutar contra esta energia, a vida é muito mais complicada. Mas quando se deixa levar pela energia, a vida é muito mais simples e está a cumprir o seu propósito. Encontrou a sua verdadeira vocação.

Como sabemos se estamos a lutar contra a energia?

  • Quão dolorosos são os meus dias?
  • Quão difícil e desgastante é o meu trabalho?

Se a resposta a estas duas questões estão numa escala de médio para alto, então não está a cumprir o seu propósito – porque está a ir contra a natureza da sua energia. Por outro lado, se parece que a sua vida é natural, sem grande esforço, fácil mesmo, então é porque está a seguir a natureza da sua energia, estando deste modo a cumprir o seu propósito.

Existem certas atividades na vida que, independentemente do esforço e tempo a que lhe dedica, retribuem-lhe energia. Vai despender muita energia, mas a energia que gera como resultado dessa atividade acaba por ser muito maior do que a que investiu.

Depois, existem aquelas atividades que simplesmente lhe retiram energia. Isto porque essas atividades não estão a compensar/em equilíbrio com os seus pontos fortes ou capacidades únicas que fazem parte da sua energia, algo com que nasceu. Algo que faz parte do seu ser.

Quais são os seus principais pontos fortes?

Os seus pontos fortes essenciais são algo natural para si, tão natural que as considera como adquiridas. No entanto, quando interage em atividades que equilibram os seus pontos fortes, poderá parecer impressionante para os indivíduos de fora. Isto tem uma razão de ser, pelas palavras de Sean Kelly:

“Como seres-humanos, é fácil para nós ignorar os nossos pontos fortes porque não os vemos como pontos fortes. Para nós podem parecer insignificantes, como se todas as pessoas do mundo as tivessem. Mas na verdade, não é bem assim. De facto, as atividades que realiza com mais facilidade serão sempre vistas como algo impressionante. E este sempre foi o plano do universo.”

– Sean Kelly, Empreendedor.

Resumindo, quando se dedica a atividades que vão ao encontro dos seus principais pontos fortes e energia, está a cumprir o seu propósito.

Apesar de ser mais uma lista de conselhos, entre muitas outras, conheça estas discas que o poderão ajudar a encontrar o seu propósito na vida:

Escreva as atividades que equilibram os seus pontos fortes

Identifique todas as atividades em que sente que lhe é natural, onde o trabalho torna-se fácil e reconheça os seus pontos fortes durante esse processo. Uma boa forma de o fazer é através de amigos, perguntar-lhes o que pensam. Explique o exercício que está a fazer e que gostava que eles lhe listassem todas as coisas em que é naturalmente bom. O que os deixa impressionados? Cuidado com a família, uma vez que podem ser parciais na sua opinião.

Escreva as atividades que não equilibram os seus pontos fortes

Isto requer total honestidade consigo próprio. Liste as suas fraquezas. Escreva tudo o que está fora das suas capacidades únicas.

Não lute, siga a sua energia

Assim que completar os passos anteriores, pense em como poderá começar a realizar mais atividades que estão em sintonia com os seus pontos fortes. Não irá ser fácil no início, envolve quebrar um ciclo que reconhece e vive há muito tempo. Envolve mudar a sua vida por completo. Seja persistente e mais importante, seja paciente. No fim, assim que se alinhar com a sua energia, a vida será muito mais fácil, não sentirá aquele desgaste a consumi-lo e talvez consiga encontrar o seu propósito ou a sua vocação.

 

Fonte: Lifehack