procura de emprego

Se nasceu depois de 1980 sabe que as redes sociais podem ajudar muito na procura de emprego e, provavelmente, sabe como utilizar as várias plataformas que estão disponíveis atualmente.

Profissionais mais experientes, no entanto, podem não ter tanto à-vontade nas redes sociais e podem estar a perder oportunidades por não saberem aproveitar todo o potencial.

É hora de traçar uma estratégia de procura de emprego e criar a sua marca pessoal para utilizar durante o processo. Quer seja um profissional que está a começar no mercado de trabalho ou que já tenha 30 anos de carreira, precisa saber como as redes sociais desempenham um papel importante na procura de emprego.

Uma coisa que precisa saber é que cada vez mais as empresas estão a utilizar as plataformas digitais para procurar candidatos e cada vez menos são aceites currículos entregues pessoalmente ou na empresa. Muitas empresas utilizam as redes sociais ou sites de emprego para chegar aos candidatos (conheça aqui as empresas que são parceiras do Alerta Emprego e divulgam suas vagas). Seja no LinkedIn, Twitter, Facebook ou Google+, as oportunidades são divulgadas para que os profissionais tenham conhecimento das vagas abertas.

Um cuidado que deve ter é que as regras são diferentes entre as redes sociais e deve ter consciência dos prós e contras de cada plataforma e saber como usá-las adequadamente. Veja de seguida algumas dicas apresentadas pelo Work it Daily sobre como utilizar algumas redes sociais:

Dicas para utilizar as redes sociais na procura de emprego

LinkedIn

  1. Tenha uma foto que transmita uma sensação de habilidade, competência e influência.
  2. Escolha um título que transmita as suas áreas de especialização. Só tem 120 caracteres: foque-se no que pretende na sua nova função.
  3. O resumo deve ser escrito na primeira pessoa e deve transmitir alguma personalidade para que pareça mais real, humano e acessível.
  4. Procure não ir além dos 15 anos na sua experiência profissional, a não ser que seja pertinente para o que deseja fazer no futuro.
  5. Complete todas as seções do perfil do LinkedIn que puder, mas ignore as que não são apropriadas para o que deseja.
  6. Alcance as conexões potenciais de forma correta. Há um certo protocolo a seguir e mostre que sabe o que está a fazer.
  7. Crie conexões com alguma finalidade: lembre-se que o LinkedIn é para negócios, então estar conectado com o seu melhor amigo que não tem relação nenhuma com a sua área profissional não irá levá-lo a lugar nenhum.

 

Twitter

  1. Crie um nome de usuário no Twitter que torne mais fácil para ser encontrado (de preferência, utilize o seu nome).
  2. Utilize uma foto que corresponda ou seja igual à das restantes redes sociais, pois ajudará a que seja reconhecido mais facilmente.
  3. Crie uma biografia rica em palavras-chave que o tornem pesquisável e localizável com base no que faz e, mais importante, o que faz bem e deseja fazer no futuro.
  4. Comece a seguir as principais empresas da sua área de atuação, pode até seguir os funcionários dessas empresas.
  5. Procure no Twitter posts de empresas em que gostaria de trabalhar e interaja.

 

Facebook

  1. Tenha atenção ao conteúdo que partilha com todos, principalmente as fotos
  2. Torne seu perfil restrito para que as pessoas vejam apenas o conteúdo que escolher
  3. Goste das páginas das empresas em que gostaria de trabalhar
  4. Interaja com as publicações, comentando, partilhando ou colocando um “gosto”.

 

Claro que existem outras redes sociais, mas estas são as mais utilizadas pelos recrutadores e candidatos à procura de emprego. Verifique se os seus perfis não contêm nenhuma informação que pode deixá-lo mal perante os recrutadores e aproveite o potencial que cada plataforma lhe pode proporcionar.