É comum ouvir dizer que apostar na nossa educação e tirar uma licenciatura permite encontrar um melhor emprego, onde apenas o secundário não seria suficiente. Apesar de não ser totalmente incorreto, também não é totalmente correto.

Estudar para ser licenciado é uma decisão que envolve tempo e dinheiro, e existem estatísticas que demonstram casos onde esta certificação não agregou valor algum na obtenção do emprego de sonho.

Perante isto, tornou-se frequente questionarmos se realmente vale a pena.

Certificações necessárias vs. Não necessárias

Para obtermos uma resposta concreta é necessário determinar se a certificação é algo totalmente necessária. Por exemplo, no caso de se candidatar para a condução de pesados, é necessário estar habilitado com uma carta de condução adequada para essa vertente. Neste caso em concreto é impossível estar neste ramo sem essa licença.

Noutros contextos, um enfermeiro iniciante tem de passar o exame que o qualifica para a função, os advogados têm de passar num exame nacional para poderem exercer advocacia, e é assim em muitas outros setores.

Por outro lado, existem outras certificações que estão mais no campo das recomendações do que nos requisitos obrigatórios.

Por exemplo, se for um web designer a candidatar-se para uma posição superior numa empresa do mesmo ramo, é essencial considerar obter uma certificação de HTML. Não é um requisito obrigatório, no entanto pode fazer a diferença quando comparado com outros candidatos.

Noutra perspetiva, existem recrutadores que simplesmente não se focam nos certificados dos candidatos, mas sim no portefólio dos mesmos. Assim sendo, quando não for necessário um certificado, há que avaliar o peso, em tempo e dinheiro, de prosseguir com a obtenção desse certificado.

As certificações não são criadas de igual modo

Outro detalhe que deve ter em conta é que cada certificado tem o seu peso e valor. Ou seja, qualquer certificação que seja de carácter obrigatório será importante, e os outros têm de ser avaliados de acordo com o seu valor.

Na maioria dos casos, é óbvio que certas certificações serão muito mais interessantes para os recrutadores devido à instituição onde foram obtidos. Instituições com boa reputação agregam mais valor ao certificado quando comparadas com outras que passam mais despercebidas.

Normalmente, os certificados mais valorizados são os de nível superior ou de posições específicas. Por exemplo, no setor de IT, a certificação de Project Management Professional (Gestor de Projeto Profissional) possui um nível bastante superior em relação a certificados obtidos por softwares na internet (A+ Certifications).

Para além do valor que a certificação pode ter no recrutador, há que pensar no valor que terá para si. Se for necessário estudar alguma ferramenta nova para obter um emprego, tente aprender algo mais complexo e demonstre-o de modo a destacar-se dos outros candidatos. Mesmo não sendo algo necessário, é sempre experiência e conhecimento que guarda para si.

Tenha em consideração a posição que deseja

A necessidade de uma certificação vai, na maioria das vezes, depender da posição à qual se pretende candidatar. Faça uma pesquisa profunda sobre a indústria onde a empresa se insere, observe as certificações disponíveis e saiba como as pode obter.

Em alguns casos, é possível saber o que a empresa espera dos seus candidatos através da descrição das vagas. Informações como se pretendem alguém com formação em Excel, serviços automatizados, ou o que a vaga possui como requisitos obrigatórios. Também estará descrito se as certificações são mesmo necessárias, ou apenas listadas como recomendadas.

Para obter mais informação, pode tentar contactar profissionais da área, que podem lhe passar conselhos sobre a utilidade dessas qualificações.

As certificações estão em constante mudança

Outro detalhe fundamental a pensar é na rapidez com que os softwares e a tecnologia evoluem. Em alguns casos, determinadas qualificações têm uma duração de cinco anos devido ao avanço tecnológico do setor. Isto pode implicar, no momento em que consegue o trabalho, que o conhecimento e competências que adquiriu daquele certificado já estejam ultrapassados.

Em certas áreas, é possível obter uma nova certificação a cada cinco anos, de modo a aprender as novas tecnologias e bases. Para os enfermeiros, é obrigatório esta abordagem, para estarem a par com a medicina moderna.

Noutros casos, estes períodos podem alargar-se até aos dez anos. Um dos setores que mais sofre destas mudanças constantes é o de IT. Os trabalhadores desta área quando entram para o mercado já o fazem com a consciência de que as suas competências têm uma data de validade.

14

Analisando todos os aspetos, é verdade que uma licenciatura ou uma formação superior ajuda na obtenção de um emprego melhor. O conhecimento e competências que são adquiridas com essa formação fazem a diferença na escolha dos candidatos.

Contudo, é necessário ter cautela e saber jogar com esta noção. Não faça apenas uns testes para obter o papel. Assegure-se de que realmente esta certificação será um progresso na sua carreira e uma mais valia no futuro. Tenha em consideração o seu trabalho e tome nota das recomendações do setor onde está inserido enquanto toma esta decisão.

 

Fonte: The Undercover Recruiter