Antes de tudo, vamos esclarecer uma coisa: a resistência mental não é uma qualidade que se possui ou não se possui.

É verdade que algumas pessoas têm uma melhor autodisciplina, outras podem ter uma maior resistência à tentação. Mas isso não é porque nasceram com essa qualidade, mas sim porque encontraram formas de desenvolver a sua força mental e de usá-la quando importante.

Estas pessoas são mentalmente fortes porque aprenderam a sê-lo – e você também o pode ser.

Assuma sempre que está em controlo

Existe uma citação frequentemente creditada a Ignatius: «Reze como se tudo dependesse de Deu; aja como se tudo dependesse de si».

O mesmo contexto aplica-se à sorte. Muitas pessoas acham que a sorte está relacionada com sucesso e falhanço. Se tiveram sucesso, a sorte favoreceu-os, caso tenham falhado, a sorte não estava do seu lado.

A maioria das pessoas atribuem o seu sucesso à boa sorte. Mas estas não esperam pela boa sorte, nem se preocupam com a má sorte. Estas pessoas agem como se o sucesso e o falhanço estivessem dentro do seu controlo.

Se foram bem-sucedidos, eles causaram-no. Se falharam, eles também o causaram.

Ao não desgastar a sua energia mental com o que lhe pode acontecer, pode colocar todo o seu esforço em fazer as coisas acontecer.

Não pode controlar o que a sorte faz consigo, mas pode controlar o que você faz por si.

Faça menos escolhas

Todos nós temos uma armazenagem de energia mental finita para exercer o autocontrolo.

Quantas mais escolhas fazemos durante o dia, mais difícil cada uma se torna no nosso cérebro – e mais vezes procuramos atalhos para despachar o trabalho.

Depois vêm os impulsos. E depois a imprudência, e no fim fazemos decisões que sabemos que não devíamos ter feito.

E estas más decisões provém do facto de ter acabado a energia mental que era necessária para fazer as escolhas acertadas.

Por isso é que quanto menos escolhas tiver de fazer, mais acertadas serão as suas decisões quando necessário tomar uma decisão.

Por exemplo, quer parar de estar constantemente a ir à sua caixa de correio de emails do trabalho. Fácil: desligue todos os alertas. Ou desligue o seu email e apenas o abra de hora a hora. Dificulte o processo de ir ao email, porque assim é mais provável não o fazer.

Escolhas são o inimigo da força mental. Também a facilidade e a conveniência. Pense em decisões que requeiram a totalidade da sua força mental e depois retire a força de vontade da equação.

Deixe de lado aquilo que não pode controlar

A força mental é como a força muscular – nenhuma é ilimitada. Por isso, porquê gastar a sua energia em coisas que não pode controlar?

Para algumas pessoas, é política. Para outras, é a família. Assim como para outras é o aquecimento global. O quer que seja, você importa-se e quer que os restantes também se importem.

Tudo bem. Faça o que pode fazer: Vote. Recicle, e reduza a sua pegada ecológica. Faça o que pode. Seja a mudança que quer ver no mundo– mas não tente mudar os outros, porque eles não vão mudar.

Faça do seu passado uma ferramenta de aprendizagem e nada mais

O passado é valioso. Aprenda com os seus erros. Aprenda com os erros dos outros. Depois deixe o passado em paz.

É mais fácil dizer do que fazer, certo? Depende da sua perspetiva. Quando algo de mau lhe acontece, veja-o como uma oportunidade de aprendizagem. Quando outra pessoa erra, não só aprenda com isso, mas aproveite a oportunidade para ser bondoso e compreensivo.

O passado é apenas um treino, não o define como pessoa. Pense no que correu mal, mas apenas em termos de como evitar repetir esse erro no futuro.

Celebre ativamente o sucesso dos outros

Muitas pessoas – garantindo que conhece algumas – vêm o sucesso como um jogo onde a vitória de alguém equivale à perda do outro. Para estas pessoas, só há espaço para uma pessoa ter sucesso, então se alguém brilhar, eles acreditam que isso diminui o seu valor.

Ressentimentos gastam imensa energia mental – energia que podia ser melhor aplicada.

Quando um amigo for bem-sucedido, isso não o impede de ser bem-sucedido também. Aliás, no que diz respeito ao sucesso, existe o provérbio «Diz-me com quem andas, dir-te-ei quem és» – por isso aproxime-se ainda mais dos seus amigos bem-sucedidos, atraia o sucesso deles para trabalhar o seu.

Nunca perca tempo a queixar-se ou a criticar

As suas palavras são poderosas, especialmente sobre si mesmo. Lamentar-se sobre os seus problemas só vai deixá-lo pior, nunca melhor.

Se algo estiver errado, não perca tempo a queixar-se. Coloque essa energia mental em resolver a situação e torná-la melhor.

Por isso, porquê perder tempo? Solucione o problema agora. Não fale sobre o que está errado. Fale sobre o que pode fazer para melhorar a situação, nem que tenha essa conversa consigo mesmo.

E faça o mesmo com os seus colegas e amigos. Não sirva apenas como um ombro onde podem chorar. Amigos não deixam amigos lamentarem-se; amigos ajudam amigos a levantar o estado de espírito.

Não tente impressionar os outros. Impressione-se a si próprio

Ninguém gosta de si pelas suas roupas, pelo seu carro ou posses, pelo seu título ou as suas conquistas – pelo menos ninguém com quem valha a pena ser amigo.

Isso são apenas coisas. As pessoas podem gostar das suas coisas, mas isso não garante que gostem de si.

Relações genuínas fazem-no feliz, e apenas criará relações genuínas quando parar de querer impressionar os outros e começar a ser você próprio.

Assim, terá muito mais energia mental para gastar com as pessoas que realmente importam na sua vida.

Reveja constantemente os seus objetivos de vida

Digamos que pretende construir uma empresa maior. Quando está mentalmente cansado, é fácil racionalizar que fará melhor no dia seguinte, e não hoje. Digamos que quer perder peso, quando está mentalmente casado é fácil dizer que começará a mudar os seus hábitos de consumo e exercício no dia seguinte e não hoje, e por aí fora.

Fadiga mental faz com que tome a saída mais fácil – mesmo que que a saída mais fácil o leve para um mau caminho. É por isso que é importante possuir lembretes para o tirarem destes maus impulsos.

Pense nos momentos em que provavelmente irá ceder aos seus maus impulsos e utilize formas de o relembrar dos seus objetivos para interromper esses impulsos e continuar no bom caminho.

Valorize o que tem

Tire uns segundos todas a noites antes de apagar a luz, e nesse momento pare de se preocupar com o que não tem. Pare de se preocupar com o que outros têm que você não tem.

Pense no que tem. Acredite que tem muito por agradecer. Sabem bem, não sabe?

Sentir-se bem consigo próprio é a melhor forma de recarregar energias das suas baterias mentais.

 

Fonte: The Muse