linguagem corporal entrevista de emprego

A linguagem corporal é tão importante como as palavras que diz durante a entrevista de emprego. Reflecte a sua confiança, interesse e motivação, actuando muitas vezes ao nível do inconsciente. É, também, determinante na primeira impressão com que o entrevistador fica de si.

O que a sua linguagem corporal está a dizer ao recrutador

Aperto de mãos

Este é o primeiro contacto presencial que tem com a empresa. Em 3 segundos, o entrevistador vai perceber se está nervoso, confiante ou arrogante.

Um aperto de mão fraco/mole e falta de contacto visual demonstram timidez e insegurança. Já um aperto de mãos demasiado firme pode indicar que está demasiado confiante que vai conseguir o emprego – 85% dos recrutadores consideram a arrogância o maior erro dos candidatos em entrevistas.

O ideal é dar um aperto de mãos natural, enquanto olha para os olhos do recrutador e sorri.

 

Postura

Os nervos  podem fazê-lo descurar a postura corporal e aparentar desleixe ou distanciamento.

Se se afundar na cadeira, o entrevistador pode ficar com a impressão de que lhe falta confiança ou interesse. Por outro lado, estar demasiado direito na cadeira ou cruzar os braços/pernas demonstra o seu nível de nervosismo e cria uma barreira emocional entre si e o recrutador. Sentar-se à pontinha da cadeira dá a impressão de que se quer ir embora da sala.

Para projectar profissionalismo e confiança sente-se com o fundo do tronco a tocar nas costas da cadeira e incline-se ligeiramente para a frente. Ponha as mãos no colo ou ligeiramente em cima da mesa e mantenha os dois pés no chão.

Quando estiver em pé, não ponha as mãos nos bolsos e evite cruzar os braços.

 

Contacto visual

O contacto visual é uma das formas mais fáceis de estabelecer uma ligação emocional com o entrevistador mas é preciso ter cuidado para não exagerar deixando-o desconfortável.

Mantenha contacto visual durante, no máximo 7 segundos de cada vez, fazendo depois pequenos intervalos (pode olhar para a sala, outro entrevistador ou para as suas notas).

Quando o recrutador estiver a fazer perguntas ou a falar de um aspecto bastante importante deve manter o contacto visual – é uma boa forma de mostrar que está a ouvir.

 

Voz

Tenha atenção à velocidade do discurso e ao tom utilizado.

Se falar muito depressa demonstra nervosismo e pode ser difícil perceber as suas respostas. Se o seu tom de voz for muito fechado/baixo dá a impressão de insegurança e o contrário pode ser visto como rude.

Aprenda a controlar a sua voz: se estiver muito nervoso respire fundo para relaxar antes de responder às perguntas do entrevistador. Varie o tom de voz para manter a atenção do recrutador e não apresse o discurso.

 

Movimentos de cabeça

Acenar com a cabeça permite-lhe mostrar ao recrutador que está a prestar atenção ao que está a ser dito. Como em tudo, é preciso moderação já que, se exagerar, poderá parecer que está a concordar com tudo para cair nas boas graças do entrevistador.

 

Tiques

Foque-se, também, em controlar a linguagem corporal involuntária. Mexer no cabelo, abanar a perna ou mexer muitos os braços enquanto fala são movimentos naturais do seu corpo, que se manifestam mais intensamente por causa do nervosismo.

Estas acções podem distrair o recrutador por isso deve tentar evitá-las. Algumas delas, como mexer na cara ou nariz, estão até associadas a desonestidade e podem influenciar negativamente o entrevistador.

 

Leia a linguagem corporal do entrevistador e tente imitar pequenos gestos e postura – a técnica do “Espelho” ajuda a criar uma relação emocional, já que em vez de um interrogatório, a entrevista será uma simpática conversa.

Fonte: Careerealism