Se realmente está preparado até ao mais ínfimo pormenor para a sua entrevista como pensa, provavelmente deve ter uma (longa) lista de questões a colocar. Mas saber que questões fazer e quais evitar também é importante, uma vez que basta uma pergunta ou resposta errada para prejudicar a sua oportunidade.

Deste modo, para o ajudar a conseguir as respostas que realmente precisa, aqui ficam algumas questões que, apesar de parecerem intrometidas, são necessárias para ponderar verdadeiramente a sua situação.

“Esta vaga, é uma nova posição, ou está à procura de um substituto?”

A verdade é esta – não só é perfeitamente normal questionar o recrutador sobre isto, como estes estarão, na maioria dos casos, disponíveis para lhe explicar os detalhes da vaga, mesmo que os deixe desconfortáveis.

Se é um novo cargo, é um bom sinal e reflete que a empresa está num período de crescimento (o que é fantástico). Se esta posição se tornou vaga porque alguém saiu da empresa, também é normal questionar o recrutador sobre a razão para esse colaborador já não estar na empresa. E caso não esteja confortável com as respostas (ou fique a saber que as últimas cinco pessoas desistiram em menos de um ano), também é perfeitamente normal se preferir rejeitar esta oferta.

“Quais são as expetativas para este cargo – e quão regularmente os colaboradores são avaliados?”

Muito provavelmente já deve estar a questionar o recrutador acerca da primeira parte desta questão, o que é muito bom. Contudo, deve ter hesitado sobre a segunda parte da questão porque não se quer antecipar. Mas deve colocar esta pergunta na mesma, porque um dos piores sentimentos é não saber se o seu superior está satisfeito com o seu desempenho (o que, infelizmente, ainda é demasiado comum no local de trabalho).

Por isso, adicionalmente às expetativas esperadas para este cargo, aproveite a oportunidade para saber se a empresa realiza avaliações regulares com os seus colaboradores de modo a discutir os seus desempenhos e compensações. Algumas empresas formalizam o processo, e outras priorizam o feedback regular durante o decorrer do ano. Independentemente do modelo que a empresa siga, não se sinta embaraçado em questionar o assunto.

“Que oportunidades estão ao alcance dos colaboradores para crescerem a nível profissional?”

Pode parecer assustador perguntar sobre crescimento profissional quando ainda nem ficou com a vaga. E sim, é importante não se antecipar nesta fase da entrevista. Contudo, a maioria dos recrutadores não se sentirão ofendidos por lhes questionar sobre as oportunidades de melhoria de competências ou promoções para cargos superiores.

Aliás, esta questão demonstra o seu interesse em integrar a empresa durante um bom período, tornando-se em mais um ponto positivo para o seu caso. Embora seja sensato evitar alongar-se demasiado nos detalhes sobre as coisas que gostaria de fazer no futuro, não tenha receio de questionar o recrutador sobre oportunidades de crescimento profissional.

“O que o deixou mais entusiasmado acerca de integrar esta empresa”

Quando a empresa chega ao ponto em que pretende contratá-lo, os recrutadores vão tentar vender-lhe todos os aspetos positivos sobre a empresa. Contudo, se pretende um pouco mais de informação sobre o que torna esta empresa num local tão bom para trabalhar, sinta-se à vontade para questionar o recrutador sobre o que o levou a apostar nesta empresa. Claro, esta resposta vai parecer um pouco tendenciosa, mas terá um pouco mais de contexto sobre o que o recrutador pensa sobre a empresa.

 

Fonte: The Muse