Alojamento, restauração e construção são os principais sectores com falta de candidatos. Há mais de 24 mil vagas de emprego por preencher em Portugal!

Os dados avançados pelo Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP), revelam que até ao final de Outubro, havia mais de meio milhão de pedidos de emprego e ainda assim sobraram cerca de 24.000 postos de trabalho.

Este número de vagas de emprego por preencher, corresponde a um aumento de 54% em relação ao ano passado. Embora tenha havido um decréscimo no número de pedidos de emprego, face ao período homólogo de 2020.-

Assim, Portugal atinge um valor próximo do máximo atingido há quatro anos – quando foram registadas perto de 25 mil vagas sem ocupação.

Este desajuste entre a procura e a oferta afeta determinados setores: encontrar trabalhadores para o setor da restauração, por exemplo, demora agora o dobro do tempo. Os salários pouco atrativos explicam parte do problema.

“Garantir a formação e colocar o país na rota certa”

Segundo a Ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social – Ana Mendes Godinho – estão ser feitas “ações específicas em conjunto com o IEFP, Associações Empresariais de alguns sectores”.

O objetivo é analisar as necessidades, de forma a ser feito um acompanhamento e recrutamento específico, afim de colmatar este valor nas vagas de emprego por preencher em Portugal.

Funcionários querem mais que um bom salário

A Eurofirms, por exemplo, tem mais de 1000 vagas por preencher. A Diretora-geral, Sara Pimpão, afirma que os funcionário querem mais que um bom salário.

Assim, é também valorizado o tele-trabalho (veja aqui todas as ofertas para trabalho remoto), flexibilidade de horários, o bem-estar e os valores da empresa.

Fonte: SIC Notícias e RTP

Veja aqui as ofertas de emprego disponíveis para todo o país