O seu perfil de LinkedIn é o seu outdoor online. Muito antes desta rede social chegar em 2003, muitas pessoas desenvolviam os seus websites para demonstrar as suas capacidades e realizações profissionais. Nos tempos atuais já não existe a necessidade de ter um website, uma vez que o LinkedIn pode servir a mesma função, até uma extensão.

Um dos elementos mais importantes e reconhecidos do LinkedIn é a rede de contactos, algo que o permite estar conectado com outras pessoas que trabalham na sua área, empresas que podem estar a recrutar ou não, mas que lhe interessam e muito mais. Quantas mais conexões tiver, mais visível se torna o seu perfil.

Mas não são todos os que conseguem usufruir esta ferramenta ao máximo. Para ter a certeza de que o seu perfil de LinkedIn está a ser devidamente utilizado, evite cair nestes erros comuns.

A sua foto de perfil

Não precisa de pagar a um fotógrafo profissional para lhe tirar uma fotografia para colocar no seu perfil, mas vai ter de possuir essa fotografia. Quando o espaço onde deveria estar a sua fotografia encontra-se em branco, as empresas não conseguem projetar qualquer sentimento ao seu perfil, por muito bom que aparenta, perdendo toda a sua credibilidade.

Se vai dedicar o seu tempo à criação de um perfil no LinkedIn, porque não carrega uma fotografia no seu perfil. Tire uma que mostre a sua cara e ombros de modo a garantir que as empresas realmente olham para a sua página mais do que um segundo.

O seu cabeçalho

De formas diferentes, o elemento mais importante do seu perfil de LinkedIn é a combinação do seu nome, o seu cabeçalho e a sua foto.

Estes três componentes são a única parte do seu perfil visível para quem está a pesquisar na base de dados do LinkedIn e o seu perfil aparece como um resultado de pesquisa.

É aconselhável criar um cabeçalho que o represente da melhor forma – a forma como quer que os outros o vejam.

“Profissional de Negócios com Experiência” não é a melhor forma de se destacar, independentemente da sua profissão. É uma frase que nada acrescentar ao seu perfil e não motiva o utilizador a visitar o seu perfil.

Um bom exemplo é seguir o modelo dois pontos, o seu cargo e algo adicional (o seu setor ou objetivo atual). Deste modo consegue informar e em simultâneo destacar-se:

  • Marketing/Relações Públicas na Dispositivos Wireless
  • Gerente Executivo (Poliglota) – À procura do próximo desafio

Caso esteja a perguntar-se se o/a gerente que se nomeou como poliglota deveria mencionar as línguas que fala fluentemente no cabeçalho, a resposta é não. Uma vez que é um factor que irá fazer com o utilizador clique e veja o perfil dessa pessoa.

O resumo e descrição do seu perfil e cargos

O resumo é a sua história – a história da sua carreira e de tudo o que quer que o mundo saiba sobre si. Um conselho, não escreva o seu resumo na terceira pessoa, uma vez que todos sabem que é você quem está a escrever o seu perfil e não outra pessoa, aliás porque razão haveria uma segunda pessoa de o fazer?

Não queira erguer uma barreira entre si e o resto do mundo nesta rede social, esteja presente e conectado. Se gosta ou pretende utilizar este tipo de escrita, faça-o no seu website pessoal ou algo do género, mas evite o uso deste discurso no LinkedIn.

No que diz respeito à sua experiência profissional, também existe uma história a ser contada que irá interessar aos utilizadores, mas apenas quando determinar o que há de interessante para ser contar. Até filtrar a informação que fica no seu perfil e a que fica de fora, o seu histórico profissional não passará de uma lista aborrecida de cargos. Nestes casos, pode contar um pouco da sua história, através deste exemplo:

“Vim para a Motores Android através da aquisição da Tecnologia Sistemas. Estava no departamento de Apoio ao Cliente Empresarial e depois entrei para o departamento de Gestor do Produto.”

Quando conta uma história, o utilizador imagina-o nesse contexto. Todo este processo é possível através da combinação da sua foto de perfil e cabeçalho juntamente com a história sobre a sua experiência profissional.

As suas recomendações

A melhor forma de conseguir recomendações das suas conexões de primeiro-grau (amigos e colegas de trabalho) é ao recomendá-los primeiro. Pode deixar uma recomendação por dia a cada pessoa fantástica que conheceu e com quem trabalhou, estudou ou fez voluntariado.

Pode fazê-lo sem eles estarem à espera. Isto acaba por proporcionar um retorno, onde eles deixarão também uma recomendação no seu perfil.

Uma coisa importante acerca das recomendações é ser-se específico. Este elemento é uma das melhores coisas acerca do LinkedIn, muito devido ao factor pessoal em que se baseia (as relações pessoais).

As melhores recomendações no LinkedIn expressam gratidão pela oportunidade de partilharem tempo, suor e ideias com outra pessoa que resultou numa relação próxima e duradoura. É isto que fortalece o mundo dos negócios e as atividades humanas em geral.

A sua atividade e correspondência

Se dedica o seu tempo a criar um perfil no LinkedIn para depois acabar por abandoná-lo, isso vai refletir-se para os utilizadores que visitarem o seu perfil. Isto não quer dizer que tem de, obrigatoriamente, estar sempre a publicar algo ou a partilhar só para passar a mensagem de que está presente. Mas é importante definir o modo como pretende utilizar o LinkedIn, pois o tempo que passa nesta rede social é como plantar e cuidar de um jardim.

Definido esse detalhe, tem de se comprometer a realizá-lo e interagir com outras pessoas, para pode cultivar e reforçar a sua rede de contactos. Para isto pode, por exemplo, aderir a grupos no LinkedIn e participar em conversas, ler e comentar publicações de outros utilizadores e/ou escrever os seus próprios artigos.

Estar atento às suas mensagens também é importante, sendo este o método usado para os utilizadores se contactarem. Nunca deixe de visitar a sua correspondência, pois grandes oportunidades podem estar à sua espera.

Se pretende estar sempre em cima do acontecimento, defina um sistema para ser sempre alertado no seu e-mail pessoal sempre que alguém o tenta contactar através de mensagens. Deste modo, nenhuma mensagem passa despercebida.

A sua rede de contactos

A sua rede de contactos, as pessoas com quem está conectado no LinkedIn, é uma grande parte da sua marca ou perfil de LinkedIn.  Isto não implica que tem de ter uma grande rede de contactos, mas só lhe cabe a si decidir como pretende abordar a sua rede.

Existem pessoas que são bastante cuidadosas em relação à suas conexões. Não aceitam convites de pessoas que não conhecem e os seus contactos seguem uma estratégia profissional que foi delineada previamente.

Por outro lado, existem utilizadores que gostam de construir uma enorme rede de conexões, e gostam de enviar convites a muitas pessoas (conhecidas ou não). O importante está na forma como é utilizada a rede de contactos, uma vez que isto é um dos pontos mais fortes do LinkedIn.

A sua marca e voz

Você tem uma marca, quer queira ou não. As suas histórias, os elementos do seu perfil como imagens, vídeos e apresentações de PowerPoint e outros elementos, permitem aos leitores criar a sua própria opinião sobre si.

Se captou o interesse dos leitores, eles vão querer saber mais sobre si. Conhecê-lo a si e às suas histórias e experiências. Isto vai tornar-se na sua marca e reputação.

Tal e qual como a sua história, a sua voz é única. Ninguém pode falar com a sua voz. Use o seu perfil do LinkedIn para os leitores poderem ouvir a sua voz. Assim o seu perfil será muito mais poderoso, honesto e irá refletir a sua personalidade.

 

Fonte: Forbes