o que o seu currículo não é

O seu currículo é essencial para conseguir um emprego. Sem ele, hoje em dia, nada feito!

No entanto, segundo os recrutadores, a grande maioria das pessoas ainda tem noções mal concebidas sobre o que faz um currículo ser atraente.

Fundamentalmente, é importante reconhecer que o seu currículo é um documento de marketing. A sua finalidade é despertar o interesse do empregador. E se ele entrou em contacto consigo para marcar uma entrevista, é porque o seu currículo desempenhou plenamente o seu propósito.

Tenha atenção ao que coloca no seu currículo e saiba, de seguida, aquilo que o seu currículo não é:

  1. O seu currículo NÃO é a sua autobiografia

Ele não é a história da sua vida. É um documento de trabalho que não deve incluir uma imagem de si mesmo ou informações pessoais sobre a sua orientação sexual, o seu estado civil, os filhos que tem, ou há quantos anos está casado. As suas inclinações políticas e crenças religiosas só deverão ser incluídas se forem relevantes para o trabalho a que se está a candidatar.

Também não é preciso incluir todos os trabalhos que já teve ou tudo o que fez em todos os empregos. Normalmente, não é necessário referir os empregos que teve há mais de 10 ou 15 anos e deve fazer um corte lógico dependendo do seu histórico no mercado de trabalho. Se esteve desempregado durante algum tempo refira cursos que frequentou, um site que tenha criado, enfim, algo que mostre que não ficou parado no tempo e que até possa ser importante para a função a que se está a candidatar.

  1. O seu currículo NÃO é uma lista exaustiva de descrições de todas as funções e responsabilidades que teve em todos os empregos

O erro mais comum dos candidatos a um emprego é contarem tudo o que fizeram nas várias funções que desempenharam até ao momento. Se essas funções nada têm a ver com esta a que se candidata, não é preciso descrever minuciosamente tudo o que fez, a não ser aquilo que realmente é importante para a vaga de emprego que quer preencher.

Veja este Checklist: como saber se o seu currículo é maçador

  1. O seu currículo NÃO é um diário sobre as suas aspirações

O recrutador não vai ficar impressionado ao ler que este é o emprego dos seus sonhos. Por outro lado, ele vai ficar impressionado quando lhe mostrar como e porquê você é o candidato dos seus sonhos.

Os empregadores preocupam-se com o que você tem para oferecer e o valor que pode trazer para a empresa.

  1. O seu currículo NÃO é um contrato de trabalho

Muitas empresas têm os seus próprios formulários de inscrição que os candidatos preenchem. Ao assinar o documento, você concorda e atesta que todas as informações que está a dar sobre trabalhos anteriores e outras informações no formulário são verdadeiras. Se o empregador descobre que qualquer informação fornecida é falsa, você pode ser imediatamente excluído do processo de recrutamento, ou até demitido se já começou a trabalhar na empresa.

O seu currículo serve para conseguir ser notado e considerado como um bom candidato à vaga de emprego. Como tal, tudo o que incluir neste documento deve ser totalmente preciso. Mas ele não constitui em si um documento formal de contrato de trabalho.

  1. O seu currículo NÃO é uma lista

O problema com o tipo de formato onde apenas faz listas separadas (uma para competências, outra para os empregos anteriores, etc.), é que ele confunde o que você fez, onde fez e quando fez.

Um currículo funcional centra-se nas suas competências e experiência, através da sua história de trabalho cronológica.

Mas veja os Prós e Contras destes 3 tipos de CV’s.

 

O seu currículo é em última análise, a sua história única de experiência profissional, incluindo desafios, o que fez e o que alcançou. Conta a história de um conjunto de actividades de trabalho, as competências que adquiriu, a educação e as credenciais que o vão valorizar. Isto é o que o currículo é.

 

Fonte: U.S. News