Está disposto a embarcar numa nova procura de emprego porque pretende algo melhor. É o contrário do ditado “aproveite a viagem”. Não está nesta procura pelas “alegrias” das entrevistas de emprego, mas sim pelo resultado: conseguir um melhor emprego.

Vai haver dias bons e dias maus, mas o importante é não se focar no que correu mal, pois no fim do dia existem certos aspetos que tem de ultrapassar de modo a ser ponderado para um novo cargo.

Dito isto, conheça estas duras verdades sobre a procura de emprego que tem de aceitar de modo a ser bem-sucedido.

Tem de contactar a sua rede de contactos

Existem diversas razões para as pessoas quererem passar esta fase à frente. É porque querem “encontrar emprego por eles próprios” e não querem ser vistos como incapazes, tornando este passo dolorosamente inconveniente para estas pessoas.

São sentimentos compreensíveis, mas se realmente quer o melhor para si tem de aprender a sair da sua zona de conforto e arriscar na procura por algo melhor.

Saiba porquê

Mais de 3/4 dos empregos são encontrados através de uma rede de contactos (networking), referências representam metade das novas contratações e centenas, literalmente centenas, de pessoas vão submeter a sua candidatura para uma oferta em aberto. Isto significa que estar a par com as outras pessoas é essencial para encontrar o emprego certo e tornar a sua candidatura visível.

Tem de completar a sua candidatura

Claro que, tendo em conta o que foi dito acima, algumas pessoas vão pensar que enviar um email aos seus contactos vai bastar, e não precisa de seguir os passos tradicionais para se candidatar a um emprego. Afinal, é bastante irritante preencher formulários online de várias páginas só para anexar o seu currículo que contém exatamente a mesma informação. Mas se realmente pretende ser chamado para uma entrevista, vai ter de completar o formulário na mesma.

Saiba porquê

As respostas que submete através desse formulário vão diretamente para um sistema de análise de candidatos, portanto, se escrever respostas de apenas uma palavra, existe uma grande probabilidade de a sua candidatura não ser filtrada pelo sistema para uma revisão humana – por outras palavras, o recrutador não receberá a sua candidatura.

Deste modo, dedique o seu tempo a preencher o formulário com toda a informação necessária e tenha sempre em mente que este passo irá fazer toda a diferença.

Tem de se preparar para a sua entrevista

Preparar-se para uma entrevista pode parecer estúpido, uma vez que se conhece a si próprio e à sua experiência profissional. Assim sendo, por que razão deve treinar a sua entrevista, em vez de simplesmente aparecer? Por que razão deve pesquisar sobre a empresa? Não deveria ser o recrutador a dizer-lhe o que irá fazer? Até pode pensar por que razão deve treinar a sua entrevista se depois não parece natural e realista?

Saiba porquê

Muito simples, porque está a ser avaliado. Tal como qualquer outro teste, se entrar na entrevista com uma preparação prévia vai sentir-se muito mais confiante. Se conseguir responder de forma sólida àquelas questões iniciais previsíveis, vai estabelecer um ritmo que o ajudará a sentir-se mais confortável. Se apostar no improviso e acabar por correr mal nas primeiras questões, todo o seu desempenho até ao fim da entrevista estará em risco.

E sim, pesquisar sobre a empresa faz parte do seu trabalho de casa. Se pretende aquele emprego de sonho tem de fazer tudo o que está ao seu alcance para o conseguir.

Tem de enviar um follow-up de agradecimento

É compreensível, muito provavelmente apenas enviou mensagens de agradecimento após receber um presente ou algo de alguém, ou por lhe fazerem um favor. Por outro lado, ser entrevistado dá trabalho. Talvez tenha gasto dinheiro num novo vestuário, talvez esteve três horas a preparar-se antes de sair de casa e agora é suposto expressar a sua gratidão?

Sim! É sempre aconselhado ao candidato enviar um follow-up a agradecer a oportunidade desta entrevista de emprego.

Saiba porquê

Posto de forma muito simples, porque pode fazer toda a diferença. Pode acontecer ter sido entrevistado por um recrutador que já não acredita nessa abordagem dos follow-up, mas também pode se dar o caso de o recrutador com quem se encontrou não recrutar determinados candidatos por saltarem esta etapa, independentemente de serem uma boa contratação.

Como não há nenhum cartão a dizer se o recrutador gosta de candidatos que enviam follow-up ou não, terá de jogar pelo seguro e enviar um.

 

Fonte: The Muse