linkedin google plus facebook twitter
Home / Candidaturas / Emigrar para Inglaterra: conselhos de portugueses que lá vivem

Emigrar para Inglaterra: conselhos de portugueses que lá vivem

emigrar para inglaterra

Com a crescente dificuldade em encontrar emprego em Portugal, muitos candidatos estão a ponderar emigrar para Inglaterra. Pedimos a vários portugueses que lá residem que nos dessem os melhores conselhos para quem pensa mudar de país. A opinião é unânime: boa preparação, muito trabalho e facilidade de adaptação são os factores-chave para ser bem sucedido em Inglaterra.

Vejam algumas oportunidades de emprego em Inglaterra aqui.

Antes de emigrar para Inglaterra:

  • Trace um plano – Se está a ponderar emigrar para Inglaterra comece por traçar um plano de acção. Escolha as datas de viagem, as áreas de trabalho a que se vai candidatar, a forma como se vai apresentar ao mercado de trabalho… Faça uma análise aos seus pontos fortes e fracos e descubra factores que o façam destacar-se dos demais candidatos. Saber várias línguas é uma grande mais-valia. 
  • Junte dinheiro – Todos os emigrantes concordam: é preciso juntar dinheiro antes de partir à aventura. O custo de vida é elevado, encontrar trabalho demora e é preciso pagar as viagens. Sugerimos que poupe enquanto planeia a viagem ou integre um trabalho temporário.
  • Faça contactos – Crie laços com amigos/familiares/conhecidos que residam em Inglaterra. Eles podem ajudá-lo à chegada e tornar-se boa companhia para o futuro. Peça-lhes conselhos e ajuda na procura de emprego. Uma boa rede de apoio é importante para fazer uma transição suave entre o panorama português e o inglês.
  • Aprenda a língua – Ponto assente: se vai emigrar para Inglaterra, tem que saber falar bem inglês. Se o seu nível de inglês já for avançado, está pronto concorrer a emprego. Se tiver um nível baixo de inglês não será fácil encontrar trabalho. Invista em mais formação nesta área antes de emigrar.
  • Procure alojamento – Pode pesquisar alojamento antes de se mudar para Inglaterra, mas deve ter cuidado. Com a elevada taxa de imigrantes de todas as nacionalidades a mudar-se para o Reino Unido, existem cada vez mais burlas na internet. Assim, tenha várias opções em aberto mas não efectue pagamentos ou contratos antes de ver o quarto/casa na vida real. Pode procurar alojamento em sites como o Spareroom e o Gumtree.
  • Procure emprego – Pesquise anúncios de emprego na internet e procure saber de vagas através da sua rede de networking inglesa. Segundo vários testemunhos, é complicado conseguir um emprego antes da mudança, mas procurar emprego ajuda a analisar o mercado e ver quais as empresas a que se candidatará quando chegar.
  • Tire o passaporte – Este é o documento que deve utilizar em alternativa ao Bilhete de Identidade ou Cartão do Cidadão. Embora não seja obrigatório, é recomendável o seu uso, já que é mais facilmente reconhecido pelas autoridades e serviços públicos.

A chegada a Inglaterra:

  • Confirme a casa – Alojamento é a prioridade. A habitação é muito cara em Inglaterra. Por isso, alugar um quarto é a solução para a maioria dos emigrantes portugueses. Visite os quartos que viu enquanto preparava a viagem e pergunte à sua rede de contactos se sabem de algum quarto vago.
  • Mantenha o subsídio de desemprego – É possível manter o subsídio de desemprego português nos primeiros meses, desde que ainda esteja desempregado. Necessitará de ir ao Serviço de Emprego antes de emigrar e ao serviço de emprego inglês após a sua chegada. Este subsídio é pago pela Segurança Social Portuguesa.
  • Peça o National Insurance Number (NINO) – Este é o número que o identifica perante o Governo Inglês. É utilizado para a Segurança Social e as Finanças, pelo que é obrigatório ao iniciar qualquer emprego.
  • Organize o material de procura de emprego  – O mercado de trabalho inglês tem uma realidade diferente da portuguesa. Desta forma, é importante que adapte a sua candidatura. Segundo testemunhos de portugueses que lá residem, o CV Europass é uma má opção. É importante descrever as empresas em que trabalhou (a maioria será desconhecida para os potenciais recrutadores) e escrever de forma objectiva as suas funções. Peça ajuda a um amigo/conhecido que já resida em Inglaterra há mais tempo, pois saberão adaptar o CV para as empresas inglesas.

Encontrar emprego:

  • Utilize a rede de networking – Questione os seus contactos em Inglaterra se têm conhecimento de vagas de emprego ou empresas que contratem portugueses. Não deixe de procurar, também, em sites de emprego.
  • Encontre emprego na área – Encontrar emprego na área de especialização não é fácil, a menos que esteja em áreas específicas, como as Engenharias ou a Enfermagem. No entanto, é possível e já vários portugueses o conseguiram. O importante é trabalhar enquanto continua à procura de emprego na sua indústria.
  • Compreenda o processo de recrutamento –  O processo de recrutamento em Inglaterra é, por norma, longo. Após o envio da candidatura online, é provável que a empresa o contacte para uma entrevista por telefone, onde discutirão os pontos mais importantes do seu CV. Se não estiver preparado para a mesma (isto é, ainda não fez pesquisa ou não tem a certeza de qual a empresa que o está a contactar), peça para ligarem mais tarde. Se passar à fase da entrevista presencial, por norma, o empregador testará as suas competências e procurará saber se está pronto para começar a trabalhar. Um exemplo deste tipo de entrevista é o de um português que se candidatou a uma loja de venda de bicicletas especializada. Na entrevista, pediram-lhe para vender material aos Clientes que se encontravam na loja.
  • Foque-se na experiência (é mais importante que o grau académico) – Se vai emigrar para Inglaterra sem experiência de trabalho é muito difícil ser contratado para emprego na sua área. Para os ingleses, a ideia de concluir uma licenciatura sem nunca ter trabalhado é peculiar. Uma boa alternativa para conseguir experiência é fazer voluntariado em Inglaterra.
  • Ganhe experiência no Reino Unido (a mesma é mais valorizada) – Por esse motivo, se não conseguir um emprego na sua área, integre um trabalho temporário e ganhe experiência já em Inglaterra. 
  • Perceba que existe muito emprego, mas existem ainda mais candidatos – Não são só os portugueses que estão a emigrar para o Reino Unido. Milhares de pessoas de diferentes nacionalidades e experiências profissionais mudam-se para lá diariamente. Quer isto dizer que o mercado de trabalho é mesmo muito competitivo!
  • Conheça a realidade: existe muito emprego precário  – Derivado à dificuldade de encontrar emprego na área de especialização, muitos jovens emigrantes (licenciados) acabam por trabalhar em limpezas ou restauração de forma precária. Formalizam contratos de trabalho em que o horário não é garantido e recebem consoante as horas que trabalharem. Assim, se fizerem 8 horas diárias têm uma boa remuneração, mas se as chefias só pedirem para fazer 3 horas diárias, não.
  • Seja persistente –  Encontrar um bom emprego não é fácil, mas com força de vontade, persistência e muito trabalho é possível. Uma das emigrantes em Inglaterra indicou-nos que enviou currículos diariamente durante 2 meses até ser contratada (enquanto procurava trabalhou à noite a fazer reposição de stock em lojas).

 

Conhecer a comunidade Portuguesa:

  • Conheça os cafés, restaurantes e mercearias portuguesas – Nas grandes metrópoles existe comércio direccionado para os emigrantes portugueses. Nunca sentirá saudades de um pastel de nata, cerveja nacional ou cozinhados portugueses.
  • Passeie por Little Portugal – A zona de Stockwell Road, em Londres, é conhecida por Little Portugal, já que aí estão concentrados os cafés e mercearias com produtos portugueses. Muitos membros da comunidade lusa vivem, também, neste local.
  • Conheça outras realidades: nem todos os emigrantes se juntam em comunidades – Segundo os testemunhos, nem todos os portugueses se “fecham” na comunidade, optando por fazer amizade com pessoas de todas as nacionalidades.

Controlar os gastos:

  • Poupe: o custo de vida é muito mais elevado do que em Portugal – A opinião é unânime – o custo de vida (especialmente nas grandes cidades) é bastante mais elevado do que em Portugal, pelo que deve estar preparado para poupar.
  • Habite-se ao sistema de pagamento semanal – Alguns empregos são à semana (ou de duas em duas semanas), e não ao mês. Terá que se adaptar a esta nova realidade de pagamentos.
  • Tenha atenção aos preços dos quartos (podem ser equivalentes a um ordenado mínimo português) – A habitação é a maior parcela dos gastos mensais (entre 400 a 800 libras, ou seja 485 a 970 euros). Quando inicia o aluguer tem, também, que dar um depósito equivalente a 6 semanas de renda. É, também, obrigatório o pagamento de um imposto que se paga ao Council (equivalente a junta de freguesia) e que pode ascender a 100 libras (121 euros) mensais.
  • Leve marmita para o trabalho ou aproveite os “deals” nos supermercados – Para não gastar dinheiro em restaurantes, os residentes aconselham que leve uma marmita com comida para o emprego ou vá a um supermercado comprar os “menus” baratos, que normalmente consistem em sanduíche+sumo. Fazendo as refeições em casa, o custo da alimentação chega a ser mais baixo que em Portugal.
  • Faça um orçamento mensal –  Opte por controlar os seus pagamentos mensais para garantir que não está a gastar acima das suas possibilidades. Lembre-se que está num país estrangeiro e não tem facilidade em pedir dinheiro emprestado.

 

 A vida em Inglaterra: 

  • Olhe à sua volta: a multi-culturalidade é surpreendente – Poderá conhecer pessoas de todas as nacionalidades e formas de pensar. Este é um dos pontos mais gratificantes para a maioria dos portugueses que lá residem.
  • Aproveite a cultura – Inglaterra (e especialmente Londres) têm alguns dos melhores museus do mundo – e alguns são gratuitos. As produções teatrais/de ópera também são surpreendentes. Alguns espectáculos vendem bilhetes muito baratos no próprio dia, por isso esteja atento a este tipo de oportunidades.
  • Agasalhe-se  – O tempo é sempre motivo de conversa em Inglaterra. Segundo os portugueses residentes, ao início é complicado lidar com a chuva e neve, mas facilmente se habituará aos mesmos.
  • Saia à noite – Vá a pubs, saia para bairros como Camdem Town ou vá a uma das muitas discotecas. A “Noite” começa mais cedo em Inglaterra, por isso terá que ajustar os seus horários.
  • Utilize os transportes públicos – A rede de transportes públicos de Inglaterra está muito bem estruturada e é fácil encontrar transporte a qualquer hora do dia (ou da noite). Tenha atenção aos preços, já que são um pouco elevados. O transporte mais barato é o autocarro.
  • Ande de bicicleta – É uma alternativa mais saudável e barata. Muitos funcionários utilizam este meio de transporte até ao local de trabalho.

 

About Alerta Emprego

O Alerta Emprego é um portal de emprego que ajuda empresas e recrutadores a encontrar os melhores candidatos e a gerir processos de recrutamento. Além de promover anúncios de emprego, o Alerta Emprego funciona como uma base de dados de CVs pesquisável, tornando mais fácil a procura de candidatos.

7 comments

  1. Estes são concelhos basicos para quem pensa em mudar de país, nāo só para Inglaterra, mas para qualquer outro. Boa sorte a todos.

  2. Vivo em Inglaterra á cerca de 3 anos, a integridade social é pra mim dificil.
    Qto ao mercado de trabalho realmente com mta sorte e perspicácia.
    Realmente os transportes são mto caros.
    Agora é tentar.
    Tentar tudo por tudo,todas as oportunidades a usufruir-
    BOA SORTE PRA TODOS.

  3. Eu vivo a 14 anos na Holanda e estou seriamente a pensar mudar-me para Inglaterra. O mercado de emprego e larguissimo, pelo menos na minha area, e estou desemopregada desde 2010 porque o nivel de holandes que tenho nao me permite arranjar emprego. Agora ate para limpezas querem que o novel de Holandes seja elevado, native level. E ridiculo. Se nao falamos o Holandes perfeito podemos esquecer o tentarmos trabalhar. Como falo e escrevo correctamente o Ingles, e falo frances, espanhol e um bocado de holandes pode ser que tenha mais sorte. O problema e o facto de como estou desempregada nao tenho dinheiro para alugar uma casa de imediato. Tenho de arranjar um plano, e organizar as coisas de maneira a eveitar grandes dores de cabeca. E tambem sozinha com um filho e mais complicado mas nao impossivel. A todos que vao tentar a sua sorte, forca porque parar e morrer.

    • isabel sou franco portugues me de seu contacto eu ao inverso de vc tenho alguns meios mas nao falo o ingles .falo um pouco espanhol portugues frances talvez nos possamos ajudar mutualmente ;;;..espero uma resposta seua .um abraço e muinta felicidade de um toc nesse numero ou deixe uma message ;;obrigado

  4. Eu sou luso-angolana e estou a pensar em emigrar para Inglaterra . Vivo em Luanda e a qualidade de vida aqui em Luanda é algo q Ñ existe. Preciso de alguns concelhos, pois tenho 2 filhos e Ñ posso fazer as coisas sem antes pensar bem .

  5. Rosario Magalhaes

    Sou portuguesa vim para aqui atraves de uma empresa de recrutamento que nos forneceu formacao na area de tecnica auxiliar de saude, esta ja tirada em Portugal de um ano e tres meses. Contudo arranjaram me colocacao , e ao fim de duas semanas aconteceu um incidente, ao qual fiquei suspensa de trabalhar na area. Entretanto antes do incidente disse ao meu marido para vir pois so assim conseguiria arranjar trabalho, antes um dia da chegafa dele aconteceu o tal incidente. Nao recebi as horas que trabalhei. O meu marido entretanto arranjou num armazem, ao fim de uma semana mandam lhe uma mensagem a dizer que o turno dele foi cancelado, e nunca mais disseram nada, nem o dinheiro dessa semana de trabalho. Estou cansada de dar voltas e voltas e nao consigo me safar… O que poderei fazer mais ?

  6. Sou o que se chama uma sobrevivente. Tenho 49 anos, sou solteira, não tenho dependentes, nunca estive doente e estou desempregada em Portugal. Todos os dias envio 2 a 3 c.v. desde há 2 anos e meio e nunca – repito – nunca fui chamada para uma entrevista sequer, o que é uma pena e um desperdício de recursos. Sou altamente adaptável e eficiente e aprendo com facilidade. Tenho experiência com computadores, tradução e já dei formação mas dado que sempre convivi com diferentes tipos de animais e plantas, procuro trabalho numa quinta ou parque no UK, de preferência que dê alojamento que pode ser o mais frugal possível. Tenho carta de condução e grande potencial humano.
    Se souberem de alguma coisa assim deixem-me mensagem aqui por favor pois perderei o subsídio de desemprego dentro de 6 meses ou seja, daqui a menos de um minuto.
    Obrigada a todos e que a vida vos seja leve.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*