Quais as diferenças entre um currículo e uma carta de apresentação? Tanto um documento como o outro partilham o objetivo de provar que tem as competências pretendidas para exercer determinado cargo para o qual se está a candidatar.

Contudo, existem diferenças em relação à estrutura e intenção dos dois documentos. Os candidatos devem ver a sua carta de apresentação e o seu currículo como um documento complementar, mas como um só. Ou seja, a sua carta de apresentação deve ter mais do que os tópicos copiados do seu currículo.

Muitos empregadores requerem que os candidatos enviem o seu currículo juntamente com a sua candidatura, quanto à carta de apresentação, acaba por ser mais opcional. Mas enviar uma carta de apresentação com o seu currículo pode fazer toda a diferença.

Currículo vs. Carta de Apresentação

Pode ver o seu currículo como um resumo geral da sua experiência profissional e a sua carta de apresentação como um resumo geral da sua experiência profissional e como se relacionada com o cargo para o qual se está a candidatar.

Um currículo é um documento que detalha o seu histórico de empregabilidade. Resume os cargos que exerceu, a sua educação e formação, certificados, competências e qualquer outra informação quantificável sobre si e sua experiência profissional.

O formato mais comum de um currículo é uma lista das suas informações de contacto, uma secção com a sua experiência profissional, uma secção sobre a sua educação e formação e outras informações relevantes.

Tipicamente, o mesmo é escrito na terceira pessoa e utiliza poucas palavras, para se manter como um resumo da sua experiência. Por isso, no lugar de escrever “Eu coordenei a equipa de vendas na Empresa Alerta Emprego”, poderá optar por “Coordenador da Equipa de Vendas”.

Dica: Sempre que possível, utilize números no seu currículo, como por exemplo o número de pessoas que supervisionou, a percentagem do aumento das vendas, o número de clientes que ajudou/com que trabalhou, etc.

Já a carta de apresentação é escrita para destacar as qualificações que possui e que vão ao encontro do que o recrutador procura num candidato. É utilizada para fornecer informação adicional ao recrutador que demonstre o porquê de ser uma boa contratação para o cargo em questão.

Uma carta de apresentação é escrita no formato de carta, incluindo um cumprimento, alguns parágrafos e um fim. Ao contrário do currículo, deve escrever a carta na primeira pessoa – mas ainda assim evite o uso excessivo do “Eu”.

O que o Currículo inclui

O seu currículo deve conter uma lista detalhada com toda a sua experiência profissional, assim como a sua formação e educação. As competências e conquistas associadas com cada emprego devem ser apresentadas resumidas, mas de modo a conseguir retirar conclusões.

Frequentemente, os currículos apresentam a informação em tópicos, o que acaba por ajudar o documento a ter um aspeto estruturado que ­facilita a leitura e compreensão.

O que a Carta de Apresentação inclui

A carta de apresentação é um documento com três a quatro parágrafos. Deve ser escrito assumindo que o recrutador vai consultar o seu currículo para corresponder ao que está a afirmar na sua carta em relação à suas qualificações.

Isto ajuda os recrutadores a ter uma melhor interpretação do seu histórico, e comprova – com os anteriores cargos que exerceu –  que é uma boa qualificação para este cargo.

Quando está a escrever a sua carta, primeiro reveja os requisitos para o cargo que são detalhados no anúncio. Utilize a carta de apresentação para demonstrar como é um profissional adequado para exercer este cargo.

Utilize a Carta de Apresentação para transmitir informações subjetivas

Um currículo refere factos – quem, o quê, quanto e como. Como contraste, a carta de apresentação é uma oportunidade de clarificar o porquê de ser qualificado para o cargo em questão. Este documento acrescenta um pouco de cor e personalidade e tem a intenção de persuadir o recrutador a acreditar que realmente é o mais indicado para a posição.

Uma carta de apresentação é uma melhor ferramenta que o currículo para demonstrar informações mais subjetivas, como o seu interesse no cargo, como os seus valores o motivam a querer ficar com o cargo ou o porquê da cultura da empresa lhe interessa tanto.

 

Fonte: The Balance Careers