cuidado com os falsos recrutadores

Recebeu uma proposta de emprego via internet? Cuidado.

O Undercover Recruiter divulgou que têm havido incidentes resultantes deste tipo de contactos e explica o que pode fazer.

De facto, existem pessoas que assumem a identidade de um recrutador e entram em contacto com possíveis candidatos a empregos, com o propósito de terem acesso às suas informações pessoais.

Esses indivíduos entram em contacto com o candidato e depois de estabelecerem alguma confiança, pedem-lhe os dados pessoais. Depois disso, os falsos recrutadores, simplesmente desaparecem!

De acordo com a Federal Trade Commission, o número de incidentes relacionados com roubos de identidade nos Estados Unidos da América atingiu os 9,9 milhões por ano. E isto poderá espalhar-se e acontecer também em Portugal.

A razão é simples: roubar identidades facilita o acesso a cartões de crédito das vítimas e contas bancárias, entre outras situações ilegais.

Veja, de seguida, como pode evitar ser uma vítima de roubo de identidade quando é contactado por um falso recrutador:

  • Pesquise!

Quando for contactado por um recrutador, comece por ver o link, número de telefone e endereço de email fornecidos e, de seguida, cruze esta informação, fazendo uma rápida pesquisa no Google sobre a empresa.

Além disso, repare no endereço de email do remetente. Será que o domínio corresponde ao nome da empresa? Se não, faça outra pesquisa no Google copiando o domínio do email.

A empresa aparece nos resultados? Se não, tente ligar para a empresa real e peça para falar com o recrutador. A recepcionista deve ser capaz de ajudá-lo.

  • Verifique os antecedentes

Um recrutador legítimo deve ter uma vasta presença online. Veja o seu perfil do LinkedIn e as suas informações. O seu perfil está completo? Tem informações de contacto? Tem recomendações? Não tenha medo de ver a sua página e clique nas suas informações. Tenha cautela se esse recrutador tiver muito pouca informação no seu perfil, ou muito poucas conexões. Além disso, tente procurá-lo também no Facebook e no Twitter. Se o recrutador não tem presença online, pode ser um sinal de que não é verdadeiro.

Por outro lado, até poderá logo encontrar informações de burlas anteriores já denunciadas por outras pessoas.

  • Faça as perguntas certas

Se entrar em conversação com o suposto recrutador, não se esqueça de fazer perguntas detalhadas sobre a empresa às quais ele deverá ser capaz de responder. Por exemplo, pergunte: “Qual a missão da empresa, e qual a importância que tem para si?”

Faça também perguntas acerca da estrutura da empresa e pergunte quem será o seu chefe. Depois, pesquise o nome dessa pessoa no LinkedIn, no Google e noutras redes sociais.

Veja aqui que tipo de perguntas pode fazer.

Se as suas perguntas começarem a ser muito detalhadas, o mais provável é que o “recrutador” desapareça.

 

Verifique sempre os emails e telefonemas com cautela e nunca divulgue demasiada informação pessoal.

Lembre-se que os falsos recrutadores procuram o desespero. Eles não estão à espera que verifique os factos ou que faça muitas perguntas. Portanto, não se esqueça do que lhe dissemos acima.

De qualquer forma, se por acaso passou por esta situação e acredita ter sido vítima de roubo de identidade, faça uma queixa na polícia. Entre também em contacto com o seu banco ou empresas onde tenha cartões de crédito, caso suspeite que algo não está bem.