Pelo segundo mês consecutivo, a taxa de desemprego desceu e atinge agora o valor mais baixo desde Maio de 2020, situando-se em 6,5%

Estando Portugal e fase de desconfinamento, isto pode ser significado da recuperação do mercado de trabalho.

Segundo a estimativas provisorias do Instituto Nacional de Estatística (INE), a taxa de desemprego atingida em Março é a mais baixa desde Maio do ano passado, que se situava nos 6%, e altura em que o mercado de trabalho ainda não era totalmente atingido pela pandemia.

Relativamente ao período homólogo do ano passado, a taxa de desemprego está agora duas décimas acima. Desde o início de 2021 esta taxa já desceu quatro décimas.

O pico atingido pela taxa de desemprego em Portugal, durante a pandemia, foi de 8,1%, em Agosto. Desde então tem vindo a descer.

Menos desempregados

Indicadores revelados pelo INE indicam que a população empregada aumentou 0,3% face a Fevereiro e a desempregada diminuiu 4,2%.

Segundo a estimativa provisória do INE, em Março, Portugal tinha 328,6 mil pessoas desempregadas. Um valor pouco distante do registado em Fevereiro e Março do ano passado, altura em que a pandemia atingiu Portugal.

Há ainda outro indicador que ganha relevância na atual dinâmica do mercado de trabalho e que tem vindo a ser positivo. A taxa subutilização de trabalho baixou 5 décimas em março, situando-se em 13,3%.

Uma análise feita entre Março de 2019 e Fevereiro de 2020 (antes da pandemia) comparativamente aos dados de Março de 2020 a Fevereiro de 2021 (durante a pandemia), conclui que a população empregada diminuiu 2,1%, enquanto a população desempregada, a subutilização do trabalho e a população inativa aumentaram em 6,7%, 12,4% e 3,0%, respetivamente.

Fonte: Jornal de Negócios