Cartas de apresentação deve continuar a escrever_egoi (2)

Na procura por um novo desafio muitas pessoas questionam-se sobre o que devem enviar na candidatura. Será que o currículo é suficiente? Será que vale a pena enviar uma carta de apresentação? Será que os recrutadores realmente leem as cartas de apresentação ou são ignoradas e estamos a perder tempo?

Imagine que está a recrutar alguém e recebe um e-mail sem mensagem nem assunto ou um envelope apenas com um currículo. Como reagiria? Provavelmente sentiria que o candidato não está realmente empenhado ou que não demonstra interesse na vaga que está a disponibilizar.

Com a ajuda do Careerealism damos-lhe quatro boas razões para continuar a escrever cartas de apresentação.

1. Escrever a carta de apresentação é a parte mais fácil 

Quando comparado com a preparação do currículo, escrever as suas cartas de apresentação apenas irá ocupar em 5% a 10% do seu tempo. Veja as nossas dicas para escrever uma carta de apresentação perfeita. Pode ainda optar por escrever uma carta menos convencional e ser mais criativo.

2. Permite mostrar que é profissional – não dê erros!

Se comete erros gramaticais ou ortográficos na sua carta de apresentação é ainda mais provável que o faça no seu currículo. Assim transmite a mensagem de que é pouco profissional e que está pouco empenhado. Peça a um colega ou amigo para verificar. Tente escrever numa linguagem adaptada à cultura da empresa a que se está a candidatar. Veja ainda outros erros a evitar.

3. Pode mostrar um pouco da sua personalidade

As cartas de apresentação são personalizadas. É onde pode “agarrar” a atenção do recrutador nos primeiros segundos e onde pode despertar interesse em si. Dê enfase aos pontos-chave que pretende destacar e adicione detalhes pessoais importantes. Lembre-se também de referir alguma competência ou característica que possa ser relevante para a sua candidatura.

4. Permite-lhe fazer uma conclusão

As cartas de apresentação têm a vantagem de permitir que faça uma conclusão sobre aquilo que já alcançou. Deve também terminar a carta solicitando uma entrevista, uma conversa por telefone ou o próprio trabalho.

 

O universo da procura de emprego está muito mais automático, generalista e personalizado. Em alguns casos podemos pensar que as cartas de apresentação estejam a perder importância. Contudo, o currículo tradicional também tem dado lugar a outros elementos, tais como Vídeo CV, redes sociais, páginas web, entre outros.

No entanto continuam a existir organizações a recrutar e oportunidades de emprego onde uma forte carta de apresentação pode fazer a diferença.