entrevista  de emprego

Já se questionou porque é que lhe fizeram determinadas perguntas na entrevista de emprego?

Jeff Haden reuniu a motivação e as perguntas-chave que alguns CEOs fazem para perceber se o entrevistado tem o que é necessário para ser bem sucedido.

A motivação por trás das perguntas na entrevista de emprego

1. “Porque é que teve X empregos nos últimos Y anos?”

Esta pergunta possibilita conhecer o percurso profissional do candidato. O que o motiva? O que o faz “saltar” de emprego em emprego? Quais os principais factores que o fazem sair das empresas?

A questão permite, também, conhecer o seu perfil: O candidato é leal? Acha sempre que a culpa é dos outros (chefias, supervisão, outros colegas…)? Aborrece-se facilmente e por isso “salta” de empresa em empresa?

O propósito da pergunta não é julgar o curto período em que o candidato esteve em cada empresa, mas sim perceber o que motivou este comportamento.

 

2. “Se, daqui a 12 meses estivéssemos aqui sentados a celebrar um excelente ano, o que tínhamos conseguido juntos?”

A entrevista de emprego também é uma oportunidade do candidato entrevistar a empresa. Para isso, precisa de ter feito o “trabalho de casa”, pesquisando sobre a função e os produtos e desafios da organização.

Ao fazer esta pergunta, o recrutador está a tentar perceber se o candidato tem visão estratégica para falar sobre os vários projectos que pode vir a integrar, e também para ver como os mesmos têm impacto em toda a organização.

 

3. “Qual foi o momento em que se sentiu mais satisfeito na sua vida?”

Para muitos CEOs, mais do que perceber se o candidato tem as competências necessárias, é fundamental perceber se este se adequa à cultura empresarial.

Com esta pergunta, conseguem perceber se a pessoa vai estar no seu melhor e sentir-se realizada ao trabalhar naquela empresa, com as condições e ambiente actuais.

 

4. “Imagine que o contratávamos, gostava bastante da sua função e lhe pagávamos o salário que pede. O que o faria aceitar uma vaga noutra empresa?”

Esta questão tem uma pequena rasteira – se o candidato  responder que um ordenado superior é motivo suficiente para sair, demonstra que está demasiado centrado em dinheiro, o que é motivo mais do que suficiente para não ser contratado.

 

5. “Quem o inspira mais? Porquê?”

Esta questão revela se o candidato está interessado no seu próprio desenvolvimento pessoal e profissional – característica altamente valorizada pelos empregadores, já que a relacionam com sucesso e ambição.

Ao responder a esta pergunta, o entrevistado também revela quais os atributos e comportamentos a que aspira.

 

6. “O que é que não gosta de fazer?”

É muito raro um profissional gostar de todos os aspectos da sua função. Mas pode ser preocupante se, por exemplo, um contabilista revelar que não gosta muito de rever as suas contas.

Esta pergunta possibilita aos recrutadores mais audazes excluírem automaticamente alguns candidatos.

 

7. “Fale-me do projecto/momento que teve mais importância na sua carreira.”

Esta pergunta é um desbloqueador de conversa, já que, por acréscimo vêm muitas outras: “Em que função estava nesse momento?”, “Qual o impacto que este projecto teve na empresa?”, “Foi um trabalho individual ou de equipa”?…

Falar de um projecto em específico permite descobrir se o candidato é determinado, como são os seus hábitos de trabalho e capacidade de trabalho em equipa.

 

8. “Qual é o seu superpoder? Se fosse um animal, qual seria?”

Alguma perguntas na entrevista de emprego são mais estranhas do que outras… mas o motivo pelo qual são feitas é bastante válido.

A resposta do candidato permite conhecer a sua personalidade. Por exemplo, se um candidato diz que é um lobo, pode estar a demonstrar alguma agressividade (o que pode ser bom em algumas funções) e se diz que o seu superpoder seria a invisibilidade pode despertar alguma desconfiança junto do entrevistador (“Porque é que não se quer mostrar ao mundo?”)

 

9. “Descreva um caso de sucesso do seu emprego anterior que mostre que vai ser bem sucedido nesta função.”

O que o candidato conseguiu no passado é um bom indicador da performance que terá no futuro. Através desta resposta, os CEOs conseguem ver como ele conseguirá ajudar a organização a triunfar.

Por outro lado, há um grande sinal vermelho se o candidato tiver dificuldade em responder a esta pergunta.

 

10. “Então… Qual é a sua história?”

Esta questão está desenhada para apanhar os candidatos de surpresa e ver a sua capacidade de resposta sob pressão. Possibilita, também, analisar a sua criatividade e personalidade.

Os candidatos devem aproveitar para se vender como a pessoa ideal para a função.

 

11. “Que perguntas tem para mim?”

Alguns CEOs sentem que aprendem mais com as perguntas do candidato do que com as suas respostas.

Só os candidatos que estão bem preparado conseguem formular questões relevantes.

 

12. “Fale-nos de uma altura em que as coisas não tenham corrido como queria – por exemplo, se não recebeu uma promoção que queria, ou um projecto que não teve o resultado esperado.”

Humildade e capacidade de auto-avaliação e melhoria são das melhores características que um colaborador pode ter. Por isso, não é de estranhar que uma das perguntas de eleição recaia sobre este tema.

Por norma, os candidatos ou passam as culpas para os ex-colegas, ou rebaixam-se ou mostram como conseguiram ultrapassar o problema e melhorar. O ideal é sempre a terceira opção – assumir os erros e aprender para fazer melhor.

 

Conheça aqui as perguntas mais comuns numa entrevista de emprego.