Salários isentos de retenção 2021De acordo com as tabelas de retenção publicadas no Diário da República, em 2021, os salários e pensões até aos 686 euros brutos mensais vão ficar isentos.

Esta situação vem apresentar um aumento de mais de 4% face aos 659 euros deste ano. Ou seja, estamos perante uma subida de 27 euros, tendo em conta as tabelas de retenção.

“A publicação destas tabelas ainda em 2020 permite previsibilidade no processamento de salários e pensões, cujos sistemas têm de ser adaptados”

– Gabinete de António Mendonça Mendes.

No próximo ano, o valor “mínimo de existência” – valor a partir do qual os contribuintes, após as taxas do imposto, não ficam com um rendimento líquido anual inferior a um determinado montante – não sofrerá alterações. Principalmente, pelo facto de a inflação deste ano estar em terreno negativo.

No entanto, mesmo com este aumento, o Governo determina que nenhum contribuinte com um rendimento anual bruto até 9.640 euros faz retenções mensais ao longo de 2021. Este ano, o mínimo de existência ficou-se nos 9.215 euros. Sofrendo um aumento, posteriormente, que o elevou para os 9.315 euros, por proposta do PS incluída no OE2021.

Os pensionistas também entram

Em conjunto com os trabalhadores por conta de outrem, os pensionistas com reformas mais baixas também terão uma atualização.

A atualização extraordinária de 10 euros para todas as pensões até 658 euros obrigou também a mexer nas tabelas de retenção.

“As tabelas de retenção na fonte aplicáveis aos rendimentos de pensões são atualizadas nos escalões mais baixos, por forma a manter o nível de rendimento líquido dos pensionistas beneficiados pelo aumento extraordinário das pensões mais baixas”

– Nota das Finanças.

Um alívio irrealista

O acerto de contas do IRS apenas é feito no ano de 2022, no momento da liquidação quando se entrega a declaração de rendimentos em que é apurado o imposto a pagar. Até essa altura, as tabelas de retenção na fonte servem como uma previsão de quanto cada contribuinte paga, tendo em conta se é solteiro ou casado, se tem filhos e quantos.

As Finanças pretendem evitar que todos os meses as famílias descontem mais do que o devido, principalmente as de classe média. Assim como aquelas cujo rendimento foi afetado pela crise pandémica.

Contudo, quando chegar o momento de acertar os valores, as famílias terão um reembolso mais curto. Uma vez que durante 2021 os descontos foram mais próximos do imposto devido.

Além disso, os fiscalistas têm alertado para esta ilusão:

“Trata-se apenas de um efeito financeiro, dado que, não obstante aumentar o rendimento líquido mensal, esta medida não tem impacto no imposto final a pagar, que continua a ser exatamente o mesmo”

 – Anabela Silva da consultora EY.

 

Fonte: Dinheiro Vivo

 

Saiba Mais:

De acordo com as tabelas de retenção publicadas no Diário da República, em 2021, os salários e pensões até aos 686 euros brutos mensais vão ficar isentos,

Segundo o INE, a esperança média de vida aos 65 aumentou. Com base neste crescimento a idade de acesso à reforma será de 66 anos e sete meses em 2022.